Crasy Júlio Iglecias- Youtub ( Aperte que toca).

Loading...

quinta-feira, 29 de dezembro de 2011

Aquele que amo ou penso AMAR.



É doce como o mel.
Suave e terno, sendo forte Pessoa que vive como poucos, sabe viver.
Tem um coração que pode ser comparado ao infinito.
Quando fala os que escutam sentem suas palavras.
As palavras não são para serem apenas ouvidas e sim sentidas!
Esta sempre sorrindo.
Alguém a quem me refiro como “Aquele que sabe doar felicidade”.
Contempla as coisas, dando um valor sublime a cada uma delas.
São estas pessoas que transmitem o que sentem.
Seus olhos tem maior brilho, mais ternura.
É invulgar.
Em seu sorriso sinto a confiança que quero sentir em alguém.
Você meu amor é aquela estrela cadente que vislumbro no céu Raramente...
E Rogo a DEUS um pedido com fé...
Vem me ver... amor....estou aqui por uma eternidade!

 Bia.

A BELEZA DE CADA UM

Além desta VIDA!

Hoje brotei terna,
Divina
Sinto-me suave como a primavera
Leve como a rosa em botão
Construí em mim um castelo de sonhos cor de rosa
Doce como o mel, cintilante como o brilho das estrelas.
Vejo na imensidão do mar
Sinto-me só com uma ternura imensa
Admiro as águas olho o céu até que meus olhos se percam no horizonte
Minha respiração é sadia meu corpo leve.
Sinto uma grande saudade
Junto à vontade de ter você mais perto
Estas em mim
Meu sorriso se expande e solta
Nesta minha Caminhada você é meu caminho é livre
É Luz Caminho florido e belo
O sol vai se postando aos poucos e tomba cansado dando lugar a lua
Olho em volta só existe beleza ali
A lua se desculpa encabulada qual bola prateada iluminado o céu
Entre a natureza e Eu esta você...
Amor além da vida!

Bia.

DOAÇÃO.



Hoje sinto a calma libertação de um passado
Muitas vezes sofremos por desilusão
São momentos em que caem por terra
Nosso mais doce sonho de uma juventude confiante
Sinto uma calma repousante
Meu corpo esta relaxado e minha cabeça não pesam mais.
Talvez a decepção seja tanta, que eu não consigo ficar tensa, sentida,
Sinto em mim apenas o coração.
Não tenho lágrimas, não tenho tristeza, não sinto ódio e não sinto amor.
Não vive em mim qualquer tipo de sentimento.
Somente uma serenidade que a vida me proporciona.
Talvez, venha breve a realidade, e eu então sentirei.
Terei a capacidade de aceitar as coisas como elas são.
Ninguém muda o mundo, mas nós cooperamos com ele.
Certas pessoas nunca entenderão,
Mas um dia compreenderão que uma vida para ser vivida tem que possuir-se muito amor.
Dar amor é entregar o que nos é mais caro, e isto é Divino é sublime, é puro.
Porque dar amor é simplesmente entregar ao outro o melhor de “si.”.

Bia Castellano de Almeida.

sábado, 24 de dezembro de 2011

Vida Melhor - Entrevista: Projeto "Objetos e Memórias" (Roseli Bueno e O...

poetandoapenas-bia

quinta-feira, 22 de dezembro de 2011

VIDA!











Milagre nascido do AMOR


 E Deus criou o mundo
O homem
A Mulher
 A Natureza os rios os mares
Florestas plantação Flores e planícies
Morros céu terra
 A alegria e a tristeza
Os sentimentos animais vegetais e minerais
Criou o sentimento da atração
Dela vem o AMOR
E a vida
O amor deixa o homem acarinhado
Doce sensível e cheio de cuidados
Em dias de paixão mais intensa a doação
 Doação de almas e de corpos formando
Outros seres que vem da benção da ternura
De um encontro DIVINO onde surgimos
Eu você seres que habitam o mundo "SER".

 Bia

quarta-feira, 21 de dezembro de 2011

Apenas AMOR

Onde estiveres

Quero desejar intensamente estar sempre ao seu lado
Poetar com cuidado
Suavizar a vida a poesia e o Amor.
 Ver você em sonhos
 Em vida
Em frente
Talvez não saibas
 Devolvestes a mim a grande capacidade
 Da fé no homem suave
Vestido de ternura
 Calçado apenas de Amor
 Oxalá possamos nós de alguma forma Comunicar-nos
Nas festas nos momentos de dor
Para o resto de nossos dias...

CP 62 Bia Castellano

Não sei a AUTORIA

Poesia Gauchesca em forma de carta e oração.


Tchê, numa dessas tardes em que o sol tava se indo embora, e eu no meu matear solito, comecei a pensar. Estamos botando mais uma marca na existência da vida.
Então decidi que deveria mandar uma tropilha de palavras pra ti, assim, poderia dividir com meus amigos, esses devaneios de saudades desse tempo que já se foi, pois já estamos no fim dessa etapa chamada de 2013
Nisso me lembrei dessa tal de INTERNETCHE, achei que seria fácil, era só camperiar por alguns SITES e já de pronto acharia o que estava por campear.
Me deparei com muita coisa da buena, mas nada daquilo que eu queria te dizer, pois descobri que não havia ali as palavras puras que minha xucra alma sente para falar contigo.
Por isso vivente te digo, com esse meu jeitão rude, que fiz tudo que pude.
Pra te dizer o que minha alma sente, queria ter te encontrado todos os dias, ter te dito,
Buenos dias, buenas tardes, buenas noites e tudo mais, mas, talvez nos vimos tão depressa, no afazer das nossas tarefas, que nem isso aconteceu, pois o ano recém nasceu, e já está para acabar.
Mas peço ao Tropeiro do Universo, sim, Ele que tudo pode, que nos traga sentimentos nobres, de amor e amizade.
Que tenhas lembranças boas, por tudo que te aconteceu.
Que o Menino que há 2013 anos nasceu, nos ilumine todos os dias.
 Que renasça a alegria, para quem à perdeu.
 Que se a caso não te aconteceu, tudo aquilo que queria.
 Que não percas a alegria, o entusiasmo e a coragem, a vida é uma viagem, mas é nós que escolhemos o caminho, espere mais um pouquinho, e tudo vai acontecer.
Um novo ano vai nascer, deposite nele tua esperança, quem espera sempre alcança, diz o velho ditado. Então, te desejo parceiro(a), junto com tua gente,
Novo Ano maravilhoso, de conquistas, alegrias e realizações.
Mas para que tudo aconteça, antes, se agarre na proteção do céu, agradecendo ao Pai Soberano, pois assim a cada ano, será feliz o teu viver, e em cada amanhecer,
 Será como um NOVO ANO
!!!Feliz Natal!!!
E um baaaaaaaita 2014!!!!



não sei a AUTORIA, mas.....Se souber coloque os créditos.

terça-feira, 20 de dezembro de 2011

Desconheço a autoria da foto e da prosa

"BUENAS TCHÊ!

"
E eis que surge lá no FUNDÃO DA ESTÂNCIA,
após se ENTREVERAR mundo a fora,
por várias COXILHAS,
LOCO DE BUENACHO,
o ÍNDIO NOEL,
montadito em sua charrete
cheia de presentes,
que mais parece um mascate vindo do Uruguai,
para novamente celebrar o Nascimento
do PIAZITO DO PEITO,

O GAUDÉRIO DOS PAMPAS,
chamado JESUS, filho de D. MARIA,
PINGUANCHA flor de rezadeira,
e do SEU JOSÉ, um carpinteiro loco de bom.

Este PIAZITO veio pra salvá
toda a INDIADA perdida pelas CARRERAS da vida.
Que este Natal, traga PAZ, SAÚDE e PROSPERIDADE,
a todos MARAGATOS, CHIMANGOS e VIVENTES,

DE TODAS AS VÁRZEAS E COXILHAS.
DESEJAMOS A TODOS UM BAITA QUEBRA COSTELA, TCHÊ,
e um 2012 TRI LEGAL...


Recebi e desconheço o autor, se souber coloque os créditos.

sexta-feira, 16 de dezembro de 2011

.Eu nunca vou te esquecer.





Eu te quero muito mais...


Sem você fico sem Norte, perco o rumo
Sem você Eu não me encontro
Vejo-te em todo o lugar
Juro Amor não é sonhar
É simplesmente aquela vontade de te encontrar
Marcamos
Andei
Pelas estradas da vida sofri te procurei
Em meu desespero meu querido
Andei descalça
Na chuva no frio
Até que parei em um bosque lindo florido
Vi um anjo e uma forte luz
Então ajoelhei e orei
Pedindo ao anjo que te encontre
Me leve até você
Adormeço
Sonho
Oro
Choro
Sinto em meus lábios os seus
Seu calor em meu corpo
Seus olhos encantados fitam os meus marejados
Momento infinito e eterno de puro AMOR
Dormimos assim abraçados
Como seres colados
Sua energia me transpassou
É vida querido é emoção
AMOR.
Bia.

quinta-feira, 15 de dezembro de 2011

Filhos empréstimos de Deus.







Filha amada
Que embalei encantada desde que nasceu
Fostes por mim esperada
A barriga acarinhada com gestos de puro amor
Viestes ao mundo em festa
Primeira filha
Primeira neta
Os anos foram passando
Noites e dias eu velando seu dormir seu despertar
Na escolinha entrastes cedo
Aos dois anos lá estavas
Linda e doce menina alegre e inteligente
Sempre se destacou
Aonde eu ia te levava
Você me acompanhava com sua alegria e sorriso
Logo veio a adolescência
Você sempre bem relacionada deixava a casa em festa
O amigo reunia sempre comemorava
Estudos alegrias sempre lugar para mais um
Veio o tempo das viagens dos bailes danceterias
Você é a própria alegria sorriso aberto e leal.
Minha menina mulher
Hoje passei por aqui para dizer o sinto
Feliz por ser sua mãe
É um dia diferente assumes com teu marido novo rumo parabéns
Tudo na vida foi união família grande e feliz
Na vida fui aprendiz me ensinastes a ser mãe
Me destes um neto querido
Meu parceiro meu amigo
Uma grande benção de DEUS
Seu pai querida a amava
Onde estiver vai sorrir se você esta feliz
Amo-te muito mais mãe.

Bia

Hoje 05 de outubro de 2011










 Meu paí (in memoriun).

Aqueles que amamos não morrem apenas partem antes de nós....até um dia.
A vida não ficou lhe devendo nada nem você á ela.
Trabalho, amigos, família, pessoas, vida...em tudo foi o melhor.
Grande, não em tamanho mas em força, realizou, criou, fez, adquiriu, fundou, realizou.
Fez de tudo um pouco.
De uma inteligência invejável, foi destaque onde passou.
Lutou pela vida, viveu bem.
Fez o que quis , fez bem feito.
Você não passou pela vida, viveu...
Entendia de tudo , sempre a frente e em frente, até um dia amigo, nos 37 anos que trabalhei ao seu lado, foi mestre, professor, amigo de todas as horas.
Nas lutas da vida andamos juntos, e assim foi na luta pela vida até o último minuto.
Até breve paí, amigo, parceiro, colega...exemplo de luta e coragem.
Vai em paz...
Tua filha, Beatriz.

Lagrimas de AMOR









Porque você foi embora
Fiquei triste sem entender
Tentei falar escrever
Não encontrei mais você

Enviei o meu calor pra te aquecer
Meus beijos e meu carinho
Você saiu de mansinho
Nunca mais me procurou

O céu ficou triste
choveu
A lua se escondeu
O sol se apagou

Os pássaros não cantam mais
As flores murcharam
Os verdes morreram
Meu coração se fechou

Sai por todo canto
Procurei você em todo lado
Pois meu coração a bater
Só escuta quando quem fala é você!

Bia

Livro da Vida-Direitos reservados.






Livro da Vida



No livro da vida ao abrir encontrei
Um lindo sonho de amor e contigo sonhei
Estávamos construindo com carinho e muito amor
Uma vida abençoada regada de afinidades


As paginas fui virando
E uma a uma eu li
Em todas elas estavas
E eu sempre junto de ti


Falei com um anjo
Que era seu protetor
Ele me segredou
Que viveremos um grande amor


Pensei que sonhava
Mas era pura realidade
Quando nascemos foi dito
Eles viverão juntos por toda a eternidade


Bia

Feliz dia da criança








Quisera eu...
Brincar de pular corda
Jogar cinco Maria
Dançar na roda
Quisera eu...
Encontrar as meninas sorrindo
Os meninos olhando encantados
Cochichos e brincadeiras
Quisera ainda saber pular fogueira
Cantar a estrela d’alva
E com o vestido rodado
Ver mamãe e papai ao meu lado
Brincar com meu mano...
Que bom
Tomar banho de chuva
Sair pra ver vaga-lume
Nas noites enluaradas
Fazer em casa teatrinho
Cantar desafinado
Nadar na cachoeira um nado cachorrinho
Correr pelos campos
Dizer que petiço é cavalo
Tomar leite quente da vaca
Juntar a meninada correr pelos campos e rolar

bia

Amor pra sempre!






Eu cruzei pontes
Atravessei mares
Estradas
Ares
Andei perguntando a lua
Se ela sabe de você
Esta minguante
Não pode responder
Procurei nos mares
Nós rios
Andei por florestas fechadas
Chamando por você
Encontrei a fada
Pedi pra responder
Preciso muito saber
Como vai você
Ela sorrio
E disse sem temor
Procuras teu amor?
Respondi assustada
Ele se foi
Partiu
Deixou-me
Apontou um jardim lindo
E sem falar corri por entre as flores
Chamando por teu nome
Em prantos
Avistei-te
Não acreditei
Você me esperou
Fiquei então muda
Perdi a fala
Olhei seus olhos marejados
De lagrimas
Ali descobri que o amor venceu
Eu sou tua
Tu és meu!

Bia

Lembre-se do aniversariariante!





Natal
Sonho de criança
Sonho de família
Sonho que é apenas sonho
Sonhamos com o presente
Fazemos o pedido quando crianças
Esperamos a data
Dia 25 de manhã
Acordamos felizes
Abrimos pacotes
Sonho realizado
O tempo passa
Pensamos na ceia
A mesa farta família reunida
Presentes esperados
Sempre a reunião o sonho a família
Um dia acordamos
Papai Noel é lindo
A família disperse
Os sonhos tem que continuar
Abra o coração e lembre
Idosos em sua maioria vivem sem família
As crianças crescem
Constroem suas próprias famílias...E você?
Neste dia talvez você lembre-se do aniversariante..
JESUS.
Jesus nasceu entre estranhos
Nada teve
Ensinou-nos a amar ao próximo
Doou-se
Multiplicou pães e peixes.
Amou sem limites
Jamais condenou quem quem quer que seja!
Levou uma vida humilde
Pregou a paz o amor e a caridade
Deixou a todos nós um exemplo de AMOR!
ORE!
AME!
VISITE QUEM NÃO TEM NINGUÉM!
NATAL... É UM DIA DE REFLEXÃO E AMOR.


Bia Castellano.

Palco da vida.






Sonhamos um dia não ser criança
Criança tem que obedecer;
Vem à pré-adolescência
Já não podemos brincar tão à vontade
Precisamos então estudar
Sonhamos com o primeiro baile
O primeiro namorado (a) o primeiro carro
A vida segue e eu sonho fazer vestibular
Escolha de carreira muito estudo e adrenalina
No coração só tem amor
Formo-me, cresci vou trabalhar.
Vem à vontade de casar, ter casa, ter filhos.
Olhamos em volta sempre... alguém melhor e outro pior do que nós.
Mas em meu universo sou único.
Quero ganhar.
Caso, tenho filhos, trabalho, casa, família, responsabilidades.
Contas a pagar
E tudo recomeça outra vez.
Olho meu filho brincando... E o filme repassa
Um belo dia o tempo passa e o grande momento chega...
O filho casa tem filhos...
E tudo recomeça outra vez...
Hoje estava distraída me peguei pensando...
Nos intervalos o que fiz?
Passeei, vivi, brinquei quando adulta?
Fiz do trabalho lazer?
Tive nele prazer?
Curti os filhos que DEUS me deu?
Tomei banho de cachoeira?
Nadei como queria?
Andei pelas ruas sem destino...
Tomei banho de chuva...
Soube sorrir?
Fiz o dever com prazer?
Brinquei com meus filhos e netos?
Fiz pescaria, fui a parques?
Dancei?
Soube ganhar dinheiro com alegria?
Ajudei minha família?
Dei amor?
Curti meu marido como se fosse simples namorada?
Andamos de mãos dadas?
Conseguimos dar boas risadas?
Fiz da vida o que?
Vai entrar um novo ano, hora de reciclar, tente se apaixonar.
Pela vida, por você!
Procure ser feliz, não faça tempestade em copo d’água.
O mais... é consequência.
Bia.

Abandono, dor que mata!








Abandono...

Abandono parece apenas uma triste situação...
Abandono, tristeza de quem ficou.
Abandono, nem sempre é de um pobre coitado.
Abandono é deixar de lado
Abandono é esquecer quem nos cuidou
Abandono nem sempre é tratar mal
Abandono é também esquecer
Abandono é deixar pra lá
Aquele que nos proveu
Abandono pode ser apenas se afastar
Abandono é não abraçar
Abandono é não beijar
Abandono é não levar comigo aquele que a mim deu abrigo
Perdeu o sono, cuidou.
Abandono é olvidar aquele que não me serve mais
Abandono pode ser com requinte
Abandono pode ser suprir necessidades
Abandono é não levar comigo aquele que a mim deu abrigo
Perdeu o sono, cuidou.
Mas abandono eu tenho certeza
É querer se afastar que quem já nada mais tem para dar.
Abandono é dor que pode matar!


Bia

Hoje eu vim lhe ver







Acordei cedinho ainda madrugada
Tomei um banho de rosas
Vesti meu vestido de carinho
Calcei as sandálias de folhas secas
No cabelo prendi apenas um cravo
Arrumei a bolsa com o que posso precisar
Um pouco de calor humano
Toda a ternura que encontrei
Meu lábio pintou com mel
Lavei o rosto com água corrente
E sorridente pensei em te encontrar
Peguei a estrada das flores
De um colorido encantador
O vento batendo forte
No caminho encontrei o sol
Acabara de nascer
Veio me receber
Pedindo pra eu não me atrasar
Falou que estas a me esperar
Tem dias e estas só
Apresso o passo ando
Ele me segue com cuidado
Atravesso muitas estradas
Sento-me a beira do Rio
Lavo o rosto
Na imagem da água pura nós dois a sorrir
Pensei que estava sonhando
Era você me esperando
Pra nunca mais se afasta
Você veio me buscar
Viro-me e num enlaço
Fico pra sempre em seus braços
Não vou mais lhe deixar


Bia.

Tempo tem quem quer.








Ter tempo
Tenho muito tempo
Não tenho tempo
A vida é o tempo
Interessante como algumas pessoas tem tempo
As pessoas que tem tempo são as mais ocupadas
Sempre encontram entre um compromisso e outro tempo
Tempo de trabalhar
Tempo de ajudar o outro
Tempo de se cuidar
Tempo de amar
Tempo de passear
Tempo de sorrir
Tempo trabalhar viver
Aquele que não tem tempo é o que não valoriza o “tempo”
Para pessoas e coisas que não interessam mais
Tempo meu amigo “Eu” tenho e de sobra para tudo o que me interessa
Quem não tem tempo é aquele que se voltou tanto pra si mesmo
Que sem olhar para os lados deixou o tempo passar
O tempo é nosso maior tesouro
Tenha tempo use bem o tempo só assim quando ele passar
Você vai poder dizer
Que bom que eu tive e tenho tempo
Benditos os que têm tempo!

Bia

terça-feira, 13 de dezembro de 2011

Prece de agradecimento.










Senhor hoje termina o dia em oração.
Tenho recebido tantas bênçãos que preciso dividir esta alegria com meus amigos.
Pai... Tanta coisa tive sem sequer pedir.
Nasci, fiz muitos aniversários, brinquei quando era hora de brincar.
Amei com a maior ternura e entrega.
Fui e sou amada...
Chorei tanto que hoje Pai confesso, devo ter secado as lagrimas todas, ou quase.
Venci com tua ajuda as dificuldades naturais da vida, outras difíceis de esquecer e vencer.
Meu aprendizado foi uma bela história, como tantos outros.
Mas o que vim fazer hoje aqui Pai foi agradecer pelo grande milagre da vida!
Grata SENHOR, pelos que me deram a vida.
Pai obrigada porque tive a grande graça de dar a vida a outro ser;
Mas Senhor quero te agradecer mais... por aquele a quem dei a vida ter gerado mais vida!
Oxalá Pai Maior possa sempre estar a rogar e agradecer!
Amém...
Namastê...
Assim Seja...
Paz e bem....

Bia.

Deus é um só, você pode dar a ele o nome que quiser, vai sempre estar ao seu lado ou se preferir em você!

Ser livre.








Ser livre é ir e vir sem ter que pedir “eu posso”
Ser livre é manter-se com suas próprias coisas
Não depender do outro para se sustentar
Não ter apenas direitos, ter obrigações.
Ser livre é olhar o outro e poder ajudar sem ter que pedir licença
É andar pelas ruas sem dar satisfação
Ser livre é respeitar o irmão necessitado
É dar abrigo sem se preocupar com os outros
Ser livre é uma conquista diária
É seguir em frente sem olhar pra trás
Ser livre é ir e vir com sabedoria
Não depender do outro dependendo
Ser livre é auxiliar com desprendimento
É colocar como prioridade o momento
É escolha de vida
É crescimento
É seguir em frente sem magoar
Seguir a vida simplesmente sem ter que a vida do outro atrapalhar
Ser livre meu irmão é a melhor e maior das conquistas
É ser simples
Aceitar a vida como ela vem
Ser livre é simplesmente viver sem atrapalhar ninguém.
Bom dia!

Bia

quinta-feira, 8 de dezembro de 2011

Eu só queria que soubesse...

poetandoapenas-bia

quinta-feira, 1 de dezembro de 2011

Resposta de Amor








Resposta de Amor


Na sua onda de paixão vou navegar
Quero te sentir
Conhecer-te
Entregar-me
Contigo dividir afagos
Cumplicidade
Ternura
Amor doce ou feroz
Meu carinho e paixão
Envolver-me em seus sonhos entrar
Com você quero dividir meu tempo
Meu amor
Minha vida
Meu momento
Tornar-me sua eterna companheira
Vamos viver um amor de verdade
De pura confiança e cumplicidade
Amor eu te ofereço lealdade
Compreensão
Sempre te dando a mão
Andando na mesma direção
Ao lado com muito carinho e cuidado
Enviando pra você com a poesia a chave do meu coração
Meu amor não precisa devolver
Estas dentro dele vais ver

 Bia Castellano

quinta-feira, 24 de novembro de 2011

Espera








ESPERA O AMANHÃ VEM VINDO
HOJE PAREI NA JANELA E VI O AMANHÃ DESPONTAR
SORRI DE FELICIDADE
TENHO PLANOS DE VERDADE

PARA QUANDO O SOL CHEGAR
DESDE SEMPRE TECI UM SONHO
NELE SÓ TEM ALEGRIAS
AMIGOS, AMORES POESIAS

DESCOBRI QUE VOCÊ VIVE LÁ
CEDINHO ARRUMEI A MALA
JUNTEI SONHOS E ILUSÕES
COLOQUEI MUITA ALEGRIA, SAÚDE E BOA COMPANIA

NO CORAÇÃO GUARDEI O AMOR
NAS MÃOS CARINHO
NAS PALAVRAS DOÇURA
TOMEI UM BANHO DE SONHOS

ME VESTI DE TERNURA
PEGUEI O TREM DO AMOR
SUBI O BOSQUE DA ALEGRIA
AO CHEGAR ABRISTE A PORTA NÃO ERA SONHO EU VIVIA!

Bia.

sábado, 19 de novembro de 2011

By Chico Xavier!







Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamentos,
não se detenha na lembrança dos momentos difíceis,
mas na alegria de haver atravessado
mais essa prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde,
não pense no sofrimento
que foi necessário enfrentar,
mas na bênção de Deus
que permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida,
as coisas boas que surgiram nas dificuldades.
Elas serão uma prova de sua capacidade,
e lhe darão confiança
diante de qualquer obstáculo.

Uns queriam um emprego melhor;
outros, só um emprego.
Uns queriam uma refeição mais farta;
outros, só uma refeição.
Uns queriam uma vida mais amena;
outros, apenas viver.
Uns queriam pais mais esclarecidos;
outros, ter pais.

Uns queriam ter olhos claros;
outros, enxergar.
Uns queriam ter voz bonita;
outros, falar.
Uns queriam silêncio;
outros, ouvir.
Uns queriam sapato novo;
outros, ter pés.

Uns queriam um carro;
outros, andar.
Uns queriam o supérfluo;
outros, apenas o necessário.

Há dois tipos de sabedoria:
a inferior e a superior.

A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe
e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.
Tenha a sabedoria superior.
Seja um eterno aprendiz na escola da vida.

A sabedoria superior tolera;
a inferior, julga;
a superior, alivia;
a inferior, culpa;
a superior, perdoa; a inferior, condena.
Tem coisas que o coração só fala
para quem sabe escutar!

Chico Xavier

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Rua da Praia – Rua dos Andradas







Nesta rua eu vivi, sonhei, amei, trabalhei, chorei, sorri por quase 30 anos.
Grande marco de minha vida!
Ganhei, perdi,aprendi...aqui eu espiritualmente e materialmente cresci, obrigada SENHOR.
Passou, marcou, segui....
Rua da Praia em Porto Alegre.


Rua da Praia – Rua dos Andradas

Rua da Praia, ou Rua dos Andradas, é uma das ruas mais tradicionais da cidade, também a mais antiga da cidade.
A despeito da nova denominação ter sido oficialmente estabelecida em 1865, o nome antigo ainda persiste na voz popular, e com ele esta rua tem sido celebrada por muitos escritores, jornalistas, pesquisadores, cronistas e poetas
Em sua obra, após uma descrição da oficial Rua dos Andradas, o historiador Sérgio da Costa Franco, assim se refere: “Na toponímia antiga, da extremidade ocidental da península até a atual Rua General Câmara, a Rua dos Andradas denominava-se "da Praia"; daquele ponto para cima, "Rua da Graça".
O cronista Pereira Coruja, em suas Antigualhas, registra que "0 povo não engraçou com o nome de “Rua da Graça", terminando por generalizar a da Praia, em toda a sua extensão.
Nas escrituras dos tabelionatos e nos papeis da Câmara Municipal, fala-se em Rua da Graça pelo menos ate o final da Revolução Farroupilha.
Assim, chegamos a uma curiosa conclusão, a de que aquela que é consagrada no imaginário popular que ultrapassa, certamente, a mais de dois séculos, todos os obstáculos legais para ser soberana na mente e corações dos porto-alegrenses, na verdade, oficialmente, nunca se chamou Rua da Praia.
Quem conhece fora de nossa cidade a Rua dos Andradas?
Ao contrário, muitos já ouviram falar na Rua da Praia, local de encontros, diversão, negócios, onde circulam diariamente milhares de pessoas. Quem, não se utilizou da frase: estou indo ao centro, na Rua da Praia pagar uma conta, ou fazer umas compras, ou ir à Casa de Cultura Mário Quintana, na Praça da Alfândega, que anualmente abriga a Feira do Livro.
Em 2011 completam-se 146 anos desde que a denominação de Andradas foi oficializada - e, mesmo assim, a Rua da Praia sobreviveu incólume, soberana, na mente dos porto-alegrenses e gaúchos, sendo assim a referência para turistas que aqui chegam. Pois bem, é então contraditória essa situação.
Quem se acorre dos guias de endereços provavelmente não compreende essa ausência. A procura incessante pode, até, causar confusão.
E para comprovar essa linha de raciocínio, que nos socorremos de muitos intelectuais, escritores, poetas, jornalistas, artistas. Rafael Guimarães em seu magnifico livro Rua da Praia –
Um passeio no Tempo, Editora Libretos, se refere ao nome dessa forma: “Em 1843, quando as vias recebem suas primeiras placas, tudo passa a ser Rua da Praia, em 1865, num arroubo patriótico, a Câmara aprova o novo nome, Rua dos Andradas, em homenagem a José Bonifácio, o “Patriarca da Independência” e seus irmãos.
Para o povo, no entanto, ela será sempre Rua da Praia. E para os críticos ao resgate da Rua da Praia e defensores da homenagem aos Andradas, respondemos com a existência da já denominada Avenida José Bonifácio, uma importante via da cidade, no bairro Bom Fim, um dos mais tradicionais da cidade, que homenageia o “Patriarca da Independência”.
José Cândido Gomes, que, sob o pseudônimo de "O Estudante", publicava crônicas semanais no jornal Mercantil a partir de 1852, já glosava as particularidades e singularidades da Rua da Praia. Zeferino Brazil, Aquiles Porto Alegre e quase todos os cronistas da cidade Ihe dedicaram cronicas.
Érico Veríssimo ali situou vários episódios de seus romances.
Nilo Ruschellhe dedicou um livro especifico, e Renato Maciel de Sá Júnior publicou três series de Anedotário da Rua da Praia que se transformaram em best-seller.
Pois é a Rua da Praia cantada em versos. Fonte de inspiração, segundo o compositor carioca Tito Madi que canta a Rua dessa forma: Rua da Praia, Eu vim para procurar minha saudade, Pra ver se encontro na verdade, Aquela que vivi........
Já João Palmeiro e Ivaldo Roque em Outubro 18h dizem,
Vou pela calçada, Porto Alegre à tarde, Quase ao anoitecer, Os cinemas chamam para ver, As vitrines vão acender, Gente com pressa, Ora para quê, Vou atravessando a Rua da Praia despreocupado.
E o grande sucesso, porém, foi de Alberto do Canto em Rua da Praia: Rua da Praia que não tem praia, que não tem rio, Onde as sereias andam de saias e não de maiô. Rua da Praia do jornaleiro, do camelô, Do Estudante que a aula da tarde gazeou.....
Não menos do que o nosso imortal Moacir Scliar, em histórias de Porto Alegre, Editora LPM, cita alguns personagens da Rua Praia, e vai adiante quando diz que “A Rua da Praia, sempre foi o coração de Porto Alegre”.
Assim como Luís Fernando Veríssimo, no Traçando Porto Alegre, Editora Arte e Oficio, também sucesso editorial, refere Porto Alegre, como a Mal entendida, “A rua principal da cidade não existe. Você rodará toda a cidade à procura da Rua da Praia e não a encontrará”... “Finalmente, desconfiado de que a Rua Principal só pode ser aquela que concentra a maior parte do tráfego de pedestres no centro, você consultará a placa e lerá “Rua dos Andradas”. Mas ninguém a chama de Rua dos Andradas, chamam pelo nome antigo de Rua da Praia”.
Portanto, o nome Rua da Praia, é mais significante para nossa população, já que é a voz do povo, aqueles que são os legítimos donos dessa cidade, que estão acima de governos, partidos políticos, famílias tradicionais ou não, está além, até mesmo do sentido poético, pois é parte petrificada no cerne da nossa cultura popular.

Retirado do facebook, personagem lotado.(O autor se intitula assim.)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

.Abandono, dor que mata!





Abandono parece apenas uma triste situação...
Abandono, nem sempre é de um pobre coitado.
Abandono é deixar de lado
Abandono é esquecer quem nos cuidou
Abandono nem sempre é tratar mal
Abandono é também esquecer
Abandono é deixar pra lá
Aquele que nos proveu
Abandono pode ser apenas se afastar
Abandono é não abraçar
Abandono é não beijar
Abandono é não levar comigo aquele que a mim deu abrigo
Perdeu o sono, cuidou.
Abandono é olvidar aquele que não me serve mais
Abandono pode ser com requinte
Abandono pode ser suprir necessidades
Abandono é não levar comigo aquele que a mim deu abrigo
Perdeu o sono, cuidou.
Mas abandono eu tenho certeza
É querer se afastar que quem já nada mais tem para dar.
Abandono é dor que pode matar!

Bia.

Quando a boca cala.... o corpo fala!!!






Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico.
O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a criança interna tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Preste atenção!


Desconheço o autor, se souber coloque os créditos
Desconheço o autor.( Amar faz bem.)

Créditos de Uta! Amanda De: Amar é Viver !






Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas que, acreditamos, farão conosco a viagem até o fim: nossos pais.
Não é verdade.
Infelizmente, em alguma estação eles desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinho, proteção, amor e afeto. Mas isso não impede que, durante a viagem, embarquem pessoas interessantes que virão ser especiais para nós.
Embarcam nossos irmãos, amigos e amores.
Muitas pessoas tomam esse trem a passeio.
Outros fazem a viagem experimentando somente tristezas.
E no trem há, também, pessoas que passam de vagão a vagão, prontas para ajudar a quem precisa.
Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros tantos viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe.
Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros, acomodam-se em vagões diferentes do nosso. Isso nos obriga a fazer essa viagem separados deles.
Mas claro que isso não nos impede de, com grande dificuldade, atravessarmos nosso vagão e chegarmos até eles.
O difícil é aceitarmos que não podemos nos assentar ao seu lado, pois outra pessoa estará ocupando esse lugar.
Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques.
Sabemos que esse trem jamais volta.
Façamos, então, essa viagem, da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos os passageiros, procurando em cada um deles o que tem de melhor, lembrando sempre que, em algum momento do trajeto poderão fraquejar, e, provavelmente, precisaremos entender isso.
Nós mesmos fraquejamos algumas vezes.
E, certamente, alguém nos entenderá.
O grande mistério, afinal, é que não sabemos em qual parada desceremos. E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim.
Deixar meus filhos viajando nele sozinhos será muito triste. Separar-me de alguns amigos que nele fiz, do amor da minha vida, será para mim dolorido. Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal, e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando embarcaram.
E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para que ela tenha crescido e se tornado valiosa.
Agora, nesse momento, o trem diminui sua velocidade para que embarquem e desembarquem as pessoas. Minha expectativa aumenta, à medida que o trem vai diminuindo sua velocidade... Quem entrará?
Quem sairá?
Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem, não só como a representação da morte, mas, também, como o término de uma história de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo íntimo, deixaram desmoronar.
Fico feliz em perceber que certas pessoas como nós, têm a capacidade de reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de "todos os passageiros".

Excelente segunda feira!
Uta! Amanda
De: Amar é Viver !

Lagrimas de AMOR






Porque você foi embora
Fiquei triste sem entender
Tentei falar escrever
Não encontrei mais você

Enviei o meu calor pra te aquecer
Meus beijos e meu carinho
Você saiu de mansinho
Nunca mais me procurou

O céu ficou triste
choveu
A lua se escondeu
O sol se apagou

Os pássaros não cantam mais
As flores murcharam
Os verdes morreram
Meu coração se fechou

Sai por todo canto
Procurei você em todo lado
Pois meu coração a bater
Só escuta quando quem fala é você!

Bia

24/09/2011

Mentiras que nos destroem








Uma das maiores razões do término da confiança.
Eu confio por que
Creio em ti
Eu confio porque não me enganas
Eu confio em quem olha no olho
Eu confio em quem não tem medos
Eu confio em quem encara verdades
Eu confio em quem sustenta seus defeitos
Eu tenho confiança em quem não mente
A confiança quando perdida, jamais se restabelece
Confiar é entrega
É poder contar com o outro e saber disto
Confiar é um sentimento que tem que ser conquistado
Não mintas pra mim
Jamais vou acreditar novamente em ti
Mas o principal é
Não mintas pra ti
A não ser que tenhas perdido totalmente
O respeito por ti mesmo!

Bia

Simplesmente....AMAR.







Amo a vida... Eu amo...a poesia...a escrita...amo...
Eu amo....meus amigos....
Eu amo...minha filha, MUSA eterna, eu amo....
Eu amo...meus netos...meus REIS....amo ....
Eu Amo amar.....
Eu amo...aprendizados...amo...
Eu amo....simplesmente....amar...
E se amar não houvesse ...há...o poeta enventaria...
Em versos o cantaria....
E o conjugaria....
Eu amo....amo amar....
Amar simplesmente... amar é estar em estado de graça...é receber em você o outro....é sentir um sentimento louco....amar...simplesmente...amo...
Eu amo...e sei amar!
Abençoados todos os que aprenderam a AMAR.....
Amor eu o saúdo ....entre nos corações ...ame....
Amando fazendo morada...
A vida será abençoada...
Pois não há vida sem AMOR!
Amo amar....

Bia

04/09/2011






Ser livre






Uma das maiores maravilha que podemos conquistar
A liberdade é muito além se simples palavra
Ser livre é poder falar o que e quando quer
É andar e ir se quiser
É muito além de poder...
Quem pode algo agora... depois...mais tarde...não ...
Livre é fazer não apenas querer
Ser livre é bem mais bem maior que tudo
É andar ou parar
É escutar ou calar
É viajar e ficar
É ir e vir...
Livre é aquele que conquistou a liberdade
Livre é quem fez e faz
Livre é quem sozinho vive mesmo que acompanhado
Ser livre é poder amar e ser amado
Livre é fazer como e quando se quer
Ser livre ao contrário do que muitos pensam
É ter estudado e estudar
É ter trabalhado duro e trabalhar
O que nos da liberdade
É poder fazer a escolha
Sem ninguém a nos mandar
Ser livre é se sustentar
Livre é quem alcança seus objetivos
Ser livre é escolher amigos
Livre também para obedecer, respeitar
Livre para viver e sonhar
Lembre sempre só terá realmente o outro
No momento em que o libertar
Liberdade é deixar viver
A palavra mais bela, o sentimento maior
É ser livre com ou sem AMOR!
Livre EU sou!



Bia

23/08/2011

MUDANÇAS




Grandes ventos sopram
Para que as mudanças se façam
Não faça perguntas
Mudanças fazem parte de nosso crescimento
Social, intectual, cíclico
Feliz do homem que sabe mudar
Minha vida como a de muitos foi sempre repleta delas
Mudei de cidade
De estado, de escola
Mudei de rumo, de status
Mudei culturalmente
Radicalmente
Mudei de amigos, poucos conservei
Mudei de namorado, noivo e marido
Mudei o rumo da vida
Novo caminho trilhou
Mudei valores
Hoje não tenho temores
Sei a mudança é crescimento
Temos que nos adaptar ao momento que a vida nos trás
Feliz de quem muda, evolui, procura
Muda de trabalho
De profissão
De rumo
Não se acomoda com o que simplesmente surge
Procura crescer a cada dia que passa, estuda, trabalha
Divide tudo com muitas amizades
Feliz quem deixa saudades
Por onde passa
Este é grande ciclo da vida.
Muda amigo, mas só se for para melhor.
Bom final de semana aos amigos,

Bia.


06/08/2011

Aprendizado.





A vida aos poucos abre ruelas, traça caminhos...
Na caminhada procuro sempre estar presente, acompanhando o simples andar de um dia, que de hora em hora se esvazia, voltando a anoitecer em mim....
Despertei cedo na jornada, querendo ver raiar o dia em caminhada, vendo caminhos ensolarados, flores lindas plantadas, em todo o correr da estrada, fui devagar, descansei.
Ao meio dia parei, almocei...segui....
Andando sempre em frente , quero te ver feliz e sorridente, que meu caminho eu possa percorrer.
Estou de bem com a vida, a tarde cai de mansinho, e o sol devagarzinho de despede de mim...
Vejo a frente à noite caindo aos poucos, a natureza que deita preguiçosa, e vai descendo a terra como um véu envolto em pontos luminosos:
É um véu negro que acaricia a todos.
Apuro passo estou quase chegando e como em sonhos estas me esperando, desde sempre meu despertar é em ti.
Corro ao teu encontro, me abraças , enlaças, nosso coração transpassa, tu passas a viver em mim!
Eu passo a viver em ti!

Bia

Quero te amar

Em você vejo apenas qualidades
Seus defeitos escondidos
Por mim são despercebidos
Não os vejo
Onde estão?
Quando me falas de amor
Apenas sinto o calor
O carinho que tu tens
Meus defeitos não os vês?
Escondi dentro do amor
Tentando ser quase única
Para alcançar seu amor
Fiz promessas
Fiz poesias
Procurei em alegrias
Para dedilhar um sentimento...


BIA.
02/08/2011

domingo, 13 de novembro de 2011

Caminho...








Não te percas no caminho
Trilhei muitas caminhadas
Andando por muitas estradas
Nas estradas da vida os caminhos são assim
Tem uns que vivem na estrada asfaltada
Outros em estradas embarradas
Estrada de pedras
Outras são sinuosas
Vias de duas ou uma só mão
A vida comigo foi boa
Colocou na minha estrada
Uma via asfaltada
Com retas e chegadas
Encontrei na caminhada
Amigos, amores carinho
Orientando-me e ajudando-me
Tive sempre um ombro amigo
Quando mais eu precisei
Sempre tive alguém comigo
Ao trilhar fui sempre firme
Pedi á DEUS que me indicasse o norte
Sempre com fé, coragem e sorte
Meu caminho ele traçou
Andei por muitas cidades
Estudei, trabalhei, amei
Tive filha, tive neto, meu destino eu escrevi
Hoje agradeço á DEUS
A vida nada me deve
Nem eu á ela
Posso dizer hoje não passei pela vida, Vivi!
Bia

01/08/2011

Amor apenas....não se planeja, acontece!







Andei na estrada da vida
Tentando nela encontrar
Um moço bonito pra comigo se casar
Apareceram candidatos na minha caminhada
Tentei escolher direito
Queria estar apaixonada
Depois de muito andar
Na estrada da vida encontrei
Um moço todo prosa
Com seu coração fiquei
Quando nos encontramos
Vi que a coisa era séria
Deu-me logo a chave de seu coração
Aproveitei e entrei
Andando bem devagar
Tentando não lhe acordar
Olhei a volta e vi tristezas...
Joguei tudo no lixo
Encontrei ali solidão aos montes..
Fui limpando e deletando ...falta de amor, medo, temor...
Fui enfeitando o canto, coloquei muita alegria
Postei flores de carinho, no cantinho da poesia
Arrumei a mesa com coisas bem gostosas
Amor, paixão, carinho, compreensão, cumplicidade.
Atenção, com-paixão, caridade
Coloquei no centro da mesa, o sentimento da pureza
Enfeitei o meu cantinho
Nele te coloquei todinho
Apaguei o passado
Pensamento de sofrimento colocando ali no lixo..
Tirei mágoas, arrependimentos... lavei tudo com amor
Agora já ficou pronto
Tentei então sair,
Mas a porta de seu coração fechou
Eu fiquei morando ali.

Bia

29/07/2011

POETA.




Poeta é o que trás em si a doçura do encantamento d’alma
É acariciar os corações solitários
Preenchendo com sussurros dissipando a dor
Poeta querido ao nasceres traz contigo
A alegria e o amor
Bendigo-te no teu dia poeta amigo
Em você é que encontro carinho e abrigo
Para agasalhar m’inhalma sentida
Quando o coração pede guarida
Carinho e palavras de amor
Ao te inspirares em um musa
Estas amando e despindo a alma
Em palavreados de amor ou calma
Bendito sejas tu poeta encantador.

Bia

sábado, 12 de novembro de 2011

LEMBRE-SE DO ANIVERSARIANTE!








Natal Sonho de criança
Sonho de família
Sonho que é apenas sonho
Sonhamos com o presente
Fazemos o pedido quando crianças
Esperamos a data
Dia 25 de manhã
Acordamos felizes
Abrimos pacotes
Sonho realizado
O tempo passa
Pensamos na ceia
A mesa farta família reunida
Presentes esperados
Sempre a reunião o sonho a família
Um dia acordamos
Papai Noel é lindo
A família disperse
Os sonhos tem que continuar
Abra o coração e lembre
Idosos vivem sem família
As crianças crescem
Neste dia talvez você lembre-se do aniversariante...
Jesus nasceu entre estranhos
Levou uma vida humilde
Nada teve
Deixou a todos nós um exemplo de AMOR!
ORE!
AME!
VISITE QUEM NÃO TEM NINGUÉM!
NATAL...
É UM DIA DE REFLEXÃO E AMOR,
Bia.



domingo, 6 de novembro de 2011

RARO DI-AMANTE.-Poema nº 1.000 de Carlos Alberto de Oliveira. Parabéns poeta querido. Que preciosidade seus poemas. Que RARO DI-AMANTE, é você!






RARO DI-AMANTE.

Não percebi a grandeza daqueles encontros
Só pude vivenciá-los.
Não valorizei a magia daqueles momentos
Só pude gozá-los.


"A falta de consciência
Quando tivemos oportunidades
São os grandes causadores
Do que chamamos saudades" .


Agora sonho
Com uma nova oportunidade
Pois sinto que tenho parâmetros
Pra ser feliz de verdade.


Meus pensamentos
Tem um caminhar diferente
Mais lúcidos...mais sensíveis
Muito mais consistentes.


E assim agora...como um garimpeiro
Estou indo sempre adiante
Numa busca contínua
DO MEU RARO DIAMANTE.

By Carlinhos do Bento.

quinta-feira, 3 de novembro de 2011

Tempo de saudades






Tempo de saudades
Saudades da infância
Saudades de brincar com meu Mano
Saudades do interior
Saudades da neve
Saudades de andar no barro
Saudades de ver o gado na banheira
Saudades de ajudar a tirar leite de vaca
Saudades de ir ao açude
Correr nos campos
Comer carreteiro de charque
Doce de leite
Massa feita em casa
Saudades do casarão cheio de gente
Saudades de ver meu pai sentado à cabeceira da mesa
Minha mãe à esquerda, eu direita meu mano ao lado.
A família grande, meus avós tios e primos,
Os que cuidavam da fazenda era um casal com 22 filhos
O carro de boi
Brincar de roda
Passear na charrete
Tomar café com leite e bolinho de chuva
É que a minha saudade
Chama-se... pai, mãe, mano...vô, tio, tia, primos....
Minha saudade hoje tem um endeço, o CÉU!

Bia.

terça-feira, 1 de novembro de 2011

Objetos e Memórias (Livro) - Eunice Pratti Nácul

Autografando com Roseli Bueno em Porto Alegre. 8 /11/2011- 14 horas na Feira do Livro Palanque Oficial, 17 horas, Asilo Padre Cacique-19:30 HORAS NO DADO BIER PRAIA DE BELAS. Lançamento oficial do Livro Objetos & Memórias, marco na história da 3ª idade, semente plantada por Roseli Bueno coordenando 170 autores de histórias. Meu carinho especial, a Jarbas Duarte, Natali Morelo, Osmar santos, Edmilson Danna, Roseli Bueno, Aldir Clemente, e autores que participam comigo. Comprem o livro, o idoso carente agradece! Apoio ao livro.

Objetos e Memórias (Livro) - Francis Waisten Zinn

Autografando com Roseli Bueno em Porto Alegre. 8 /11/2011- 14 horas na Feira do Livro Palanque Oficial, 17 horas, Asilo Padre Cacique-19:30 HORAS NO DADO BIER PRAIA DE BELAS. Lançamento oficial do Livro Objetos & Memórias, marco na história da 3ª idade, semente plantada por Roseli Bueno coordenando 170 autores de histórias. Meu carinho especial, a Jarbas Duarte, Natali Morelo, Osmar santos, Edmilson Danna, Roseli Bueno, Aldir Clemente, e autores que participam comigo. Comprem o livro, o idoso carente agradece!

Objetos e Memórias ( Livro) - Dejanira Pereira Zinn

Autografando com Roseli Bueno em Porto Alegre. 8 /11/2011- 14 horas na Feira do Livro Palanque Oficial, 17 horas, Asilo Padre Cacique-19:30 HORAS NO DADO BIER PRAIA DE BELAS. Lançamento oficial do Livro Objetos & Memórias, marco na história da 3ª idade, semente plantada por Roseli Bueno coordenando 170 autores de histórias. Meu carinho especial, a Jarbas Duarte, Natali Morelo, Osmar santos, Edmilson Danna, Roseli Bueno, Aldir Clemente, e autores que participam comigo. Comprem o livro, o idoso carente agradece!

Compacto de Lançamento do livro Objetos e Memórias.

Autografando com Roseli Bueno em Porto Alegre. 8 /11/2011- 14 horas na Feira do Livro Palanque Oficial, 17 horas, Asilo Padre Cacique-19:30 HORAS NO DADO BIER PRAIA DE BELAS. Lançamento oficial do Livro Objetos & Memórias, marco na história da 3ª idade, semente plantada por Roseli Bueno coordenando 170 autores de histórias. Meu carinho especial, a Jarbas Duarte, Natali Morelo, Osmar santos, Edmilson Danna, Roseli Bueno, Aldir Clemente, e autores que participam comigo. Comprem o livro, o idoso carente agradece!

Objetos e Memórias - Carla Rabetti - Coordenadora de Marketing - Novo Sé...

Autografando com Roseli Bueno em Porto Alegre. 8 /11/2011- 14 horas na Feira do Livro Palanque Oficial, 17 horas, Asilo Padre Cacique-19:30 HORAS NO DADO BIER PRAIA DE BELAS. Lançamento oficial do Livro Objetos & Memórias, marco na história da 3ª idade, semente plantada por Roseli Bueno coordenando 170 autores de histórias. Meu carinho especial, a Jarbas Duarte, Natali Morelo, Osmar santos, Edmilson Danna, Roseli Bueno, Aldir Clemente, e autores que participam comigo. Comprem o livro, o idoso carente agradece!

Objetos e Memórias (Livro) - Viviane Aquino

Autografando com Roseli Bueno em Porto Alegre. 8 /11/2011- 14 horas na Feira do Livro Palanque Oficial, 17 horas, Asilo Padre Cacique-19:30 HORAS NO DADO BIER PRAIA DE BELAS. Lançamento oficial do Livro Objetos & Memórias, marco na história da 3ª idade, semente plantada por Roseli Bueno coordenando 170 autores de histórias. Meu carinho especial, a Jarbas Duarte, Natali Morelo, Osmar santos, Edmilson Danna, Roseli Bueno, Aldir Clemente, e autores que participam comigo. Comprem o livro, o idoso carente agradece!

Objetos e Memórias (Livro) - Themis Groisman

poetandoapenas-bia

Objetos e Memórias - Asilo Padre Cacique(Porto Alegre)

Autografando com Roseli Bueno em Porto Alegre. 8 /11/2011- 14 horas na Feira do Livro Palanque Oficial, 17 horas, Asilo Padre Cacique-19:30 HORAS NO DADO BIER PRAIA DE BELAS. Lançamento oficial do Livro Objetos & Memórias, marco na história da 3ª idade, semente plantada por Roseli Bueno coordenando 170 autores de histórias. Meu carinho especial, a Jarbas Duarte, Natali Morelo, Osmar santos, Edmilson Danna, Roseli Bueno, Aldir Clemente, e autores que participam comigo. Comprem o livro, o idoso carente agradece!

Objetos e Memórias - Encontro em Porto Alegre

poetandoapenas-bia

sexta-feira, 28 de outubro de 2011

Jantar de adesão ao livro Objetos & Memórias.








Jantar de adesão ao livro Objetos & Memórias.Amigos teremos 3 eventos no dia 08/11/2011.

O LIVRO QUE VOCÊ LEVA , O CD VOCÊ ESCUTA E O ASILO RECEBE A RENDA .
NO RIO GRANDE DO SUL 150 IDOSOS CARENTES AGRADECEM POR VOCÊ COMPRAR UM LIVRO.


No dia 08/11 faremos o Lançamento do Livro OBJETOS & MEMÓRIAS com "SESSÃO COLETIVA DE AUTÓGRAFOS"
Participação de Roseli Bueno e autores gaúchos nos 3 eventos.
"APRESENTAÇÃO" do "CORAL DE IDOSOS DO ASILO PADRE CACIQUE"na Praça e no asilo.


Palanque Oficial da FEIRA do Livro, 14 horas, com Roseli Bueno autografando o livro
autores Gaúchos autografando suas histórias.

17 horas, Apresentação de Coral e presença de Roseli Bueno e autores no Asilo Padre Cacique.
Autógrafoos.


19:30 horas em diante estarenos no restaurante Dado Bier do Shopping Praia de Belas, com o único evento pago,
Preço abaixo.
Confraternização.



Jantar no Restaurante Dado Bier, com Roseli Bueno e autores Gaúchos, às 20 horas, do dia 08 de novembro de 2011-
Avenida Praia de Belas 1181 – entrada pelo térreo.
Jantar de adesão ao livro Objetos & Memórias.
Confirme seu lugar, no email:beatriz.castellano@hotmail.com

"Objetos & Memórias", no dia 08/11, a partir das 19h30

Buffet Livre: R$36,50

Buffet de Sobremesas: R$7,90

Quem consumir buffet e sobremesa: R$ 41,00

Podem confirmar com as Poetisas, Viviane Aquinno, Dejanira Zinn ou Bia Castellano.
Quem for ao jantar, Roseli Bueno estará autografando os livros.
Escritores estaram autografando, suas histórias.

quarta-feira, 26 de outubro de 2011

Lançamento em São Paulo.





No dia 08/11 faremos o Lançamento do Livro OBJETOS & MEMÓRIAS com "SESSÃO COLETIVA DE AUTÓGRAFOS"



E também com a "APRESENTAÇÃO" do "CORAL DE IDOSOS DO ASILO PADRE CACIQUE".



no dia 08/11 na Feira do Livro, para valorizar nossa "AÇÃO SOCIAL".



Anexo convite e fotos do nosso Lançamento em São Paulo do Evento de Pré Lançamento em 02/10 e do Lançamento na Livraria da Vila



ontem 25/10.



Link da canção "Melhor Idade" no canal do Youtube - objetos e memórias





http://www.youtube.com/watch?v=n8cR11Z9Qy0&feature=related


Abraços,

Roseli Bueno

(Autora e Organizadora do Livro Objetos & Memórias)



www.roselibueno.com.br

(11) 8478-9021

terça-feira, 25 de outubro de 2011

O amor jamais de nós vai se afastar







Ser forte não é ser rude Ser forte não é ser grosseiro
Ser forte não é ter força física
Ser forte não é ser bruto

Forte é ser humano
Forte é ser sensível
Forte é ver no outro ternura
Forte é saber amar

O dia em que o homem entender
Que a mulher procura
O amparo com delicadeza
A sabedoria sem imposição

O amor com reciprocidade
O sorriso como força
O abraço como abrigo
As palavras de carinho como sedução

A parceria e a cumplicidade
Como aliança de amor
A compreensão e a paciência
A sinceridade e o perdão


Nos seus olhos quero me encontrar
Em sua boca tocar
Com carinho em você me achar
Em seus braços poder ficar


O amor jamais de nós vai se afastar

CP 62 Bia Castellano

segunda-feira, 24 de outubro de 2011

Feliz dia da criança...para a criança que existe em você.





Jogar cinco Marias
Quisera eu...
Brincar de pular corda
Dançar na roda
Quisera eu...
Encontrar as meninas sorrindo
Os meninos olhando encantados
Cochichos e brincadeiras
Quisera ainda saber pular fogueira
Cantar a estrela d’alva
E com o vestido rodado
Ver mamãe e papai ao meu lado
Brincar com meu mano...
Que bom
Tomar banho de chuva
Sair pra ver vaga-lume
Nas noites enluaradas
Fazer em casa teatrinho
Cantar desafinado
Nadar na cachoeira um nado cachorrinho
Correr pelos campos
Dizer que petiço é cavalo
tomar leite quente da vaca
Juntar a meninada correr pelos campos e rolar



Bia.

Amor pra sempre!




Eu cruzei pontes
Atravessei mares
Estradas
Ares
Andei perguntando a lua
Se ela sabe de você
Esta minguante
Não pode responder
Procurei nos mares
Nós rios
Andei por florestas fechadas
Chamando por você
Encontrei a fada
Pedi pra responder
Preciso muito saber
Como vai você
Ela sorrio
E disse sem temor
Procuras teu amor?
Respondi assustada
Ele se foi
Partiu
Deixou-me
Apontou um jardim lindo
E sem falar corri por entre as flores
Chamando por teu nome
Em prantos
Avistei-te
Não acreditei
Você me esperou
Fiquei então muda
Perdi a fala
Olhei seus olhos marejados
De lagrimas
Ali descobri que o amor venceu
Eu sou tua
Tu és meu!

Bia.

OBJETOS E MEMÓRIAS- O LIVRO JÁ FOI LANÇADO EM SÃO PAULO-AQUI EM PORTO ALEGRE DIA 08 DE NOVEMBRO AGUARDAMOS VOCÊ.





Com orgulho e satisfação convido-os para a SESSÃO DE AUTÓGRAFOS coletivo na 57a FEIRA DO LIVRO em Porto Alegre, no dia

08/11 de 14hs até 16hs e na sequencia iremos para o ASILO PADRE CACIQUE de 17hs até 19hs, e depois vamos jantar, o

Restaurante deixo a cargo da minha amiga Beatriz Castellano.

Agradeço demais a colaboração, confiança e apoio de todos!

Solicito aos autores(as) que façam a divulgação deste Lançamento aos seus contatos de email, e também nas redes sociais.

Vamos fazer deste Lançamento um Sucesso!

Enviarei outro email com o REALISE do Livro e o convite assim podem reenviar aos seus contatos ok!


Grande Abraço,

Roseli Bueno
(11) 8478-9021

sábado, 22 de outubro de 2011

PAI NOSSO-Autoria: “ Um Ser de Luz ”





PAI NOSSO( Espirita)

Pai Nosso que estais no céu, na terra, em todos os mundos espirituais.
Santificado e Bendito seja sempre o Vosso Nome, mesmo quando a dor e a desilusão ferirem nosso coração.
Bendito Sejas.
O pão nosso de cada dia, dai-nos hoje.
Pai, dai-nos o pão que revigora as forças físicas, mas dai-nos também o pão para o espírito.
Perdoai as nossas ofensas, mas ensinai-nos antes a merecer o Vosso perdão, perdoando aqueles que tripudiam sobre nossas dores, espezinham nossos corações e destroem nossas ilusões.
Que possamos perdoá-los, não com os lábios e sim com o coração.
Afastai de nosso caminho todo sentimento contrário a caridade. .
Que este Pai Nosso seja dadivoso para todos aqueles que sofrem como espíritos encarnados ou desencarnados.
Que uma partícula deste Pai Nosso vá até os cárceres onde alguns sofrem merecidamente, mas outros pelo erro judiciário.
Que vá até os hospícios iluminando os cérebros conturbados que ali se encontram.
Que vá até os hospitais, onde muitos choram e sofrem sem o consolo da palavra amiga.
Que vá a todos aqueles que neste momento transpõem o pórtico da vida terrena para a espiritual, para que tenham um guia e o Vosso perdão.
Que este Pai Nosso vá até os lupanaranes e erga as pobres e infelizes criaturas que para ali foram tangidas pela fome, dando-lhes apoio e fé.
Que vá até o seio da Terra onde o mineiro está exposto ao fogo do grizu e que ele, findo o dia, possa voltar ao seio de sua família.
Que este Pai Nosso vá até os dirigentes das nações para que evitem a guerra e cultivem a paz.
Tende piedade dos órfãos e viúvas.
Daqueles que até esta hora n ão tiveram uma côdea de pão
Tende compaixão dos navegadores dos ares.
Dos que lutam com os vendavais no meio do mar bravio.
Tende piedade da mulher que abre os olhos do ser à vida.
E que a Paz e a Harmonia do Bem fiquem entre nós e estejam com todos.
Assim seja.

Autoria: “ Um Ser de Luz ”

quinta-feira, 20 de outubro de 2011

Dicionário Gaúcho Por Geraldo Bond em ALEGRETENSES DESGARRADOS ·






Dicionário Gaúcho


A
Abichornado : adj. Aborrecido, triste, desanimado.
Abrir cancha : Abrir espaço para alguém passar.
A cabresto : Conduzido pelo cabresto; submetido.
Achego : Amparo, encosto, proteção.
Açoiteira : Parte do relho ou rebenque, constituída de tira ou tiras de couro, trançadas ou justapostas, com a qual se castiga o animal de montaria ou de tração.
Acolherar : Unir dois animais por meio de uma pequena guasca amarrada ao pescoço; Unir, juntar, com relação a pessoas.
Afeitar : Cortar a barba.
Agregado : Pessoa pobre que se estabelece em terras alheias, com autorização do respectivo dono, sem pagar arrendamento, mas com determinadas obrigações, como cuidar dos rebanhos, ajudar nas lidas de campo e executar outros trabalhos.
Água -Benta : Cachaça, destinada a ser bebida ocultamente.
Água-de-cheiro : Perfume, extrato.
A laço e espora : Com muita dificuldade, com muito esforço, vencendo grandes obstáculos.
A la cria : Ao Deus-dará, à aventura. Foi-se a la cria, significa foi-se embora, foi-se ao Deus-dará, caiu no mundo. Alambrado: Aramado. Cerca feita de arame para manter o gado nas invernadas ou potreiros.
A la pucha : Exprime admiração, espanto.
À meia guampa : Meio embriagado, levemente ébrio.
Anca : Quarto traseiro dos quadrúpedes. Garupa do cavalo. O traseiro do vacum.
Anta : Pessoa interesseira.
Aporreado : Cavalo mal domado, indomável, que não se deixa amansar. Aplica-se, também ao homem rebelde.
Arapuca : Armadilha para pegar passarinhos; Trapaça.
Arrastar a asa : Paquerar.
Arreios : Conjunto de peças com que se arreia um cavalo para montar.

B


Badana : Pele macia e lavrada que se coloca, na encilha do cavalo de montaria, por cima dos pelegos ou do coxonilho, se houver.
Bagual : Cavalo manso que se tornou selvagem. Reprodutor, animal não castrado.
Baixeiro : Espécie de lã, integrante dos arreios, que põe no lombo do cavalo, por baixo da carona.
Bater as botas : Morrer.
Bicheira : Ferida nos animais, contendo vermes depositados pelas moscas varejeiras. Para sua cura, além de medicação, são largamente utilizadas as simpatias e benzeduras.
Bidê : Mesinha de cabeceira. (Aportuguesado do francês bidet).
Biriva : Nome dado aos habitantes de Cima da Serra, descendentes de bandeirantes, ou aos tropeiros paulistas, os quais geralmente andavam em mulas e tinham um sotaque especial diferente do da fronteira ou da região baixa do Estado. Var.: beriva, beriba, biriba.
Bóia : Comida

Bombear : olhar
Bolicho : Casa de negócios de pequeno sortimento e de pouca importância. Bodega.
Bolicheiro : Dono de bolicho.
Braça-de-Sesmaria : Media antiga, de superfície, usada no Rio Grande do Sul. A braça-de-sesmaria mede 2,20 m por 6.600 m ou seja 14.520 metros quadrados
.
Buenacha : Boa.

C
Cabresto : Peça de couro que é apresilhada ao buçal para segurar o cavalo ou o muar.
Cachaço : s. Porco não castrado, barrasco, varrão.
Cacho : A cola, o rabo do cavalo.
Cagaço : Grande susto, medo.
Cambicho : Apego, paixão, inclinação irresistível por uma mulher.
Campo de Lei : Campo de ótima qualidade.
Capão : Diz-se ao animal mal capado; Indivíduo fraco, covarde, vil; Pequeno mato isolado no meio do campo.
Capataz : Administrador de uma estância ou de uma charqueada. Pessoa que nas lides pastoris, é incumbida de chefiar o pessoal.
Carboteiro(a) : Alguém difícil, que não dá bola.
Carreira : Corrida de cavalos, em cancha reta. Quando participam da carreira mais de dois parelheiros, esta toma o nome de penca ou califórnia.
Caudilho : Chefe militar ; Manda-chuva.
Cavalo de Lei : Animal muito veloz, capaz de percorrer duas quadras (264m) em 16 segundos ou menos.
Chalana : Embarcação ou Lancha grande e chata.
Chambão : Otário.
Charla : Conversa.
Chasque : Recado; Mensagem.
Chimango : Alcunha dada no Rio Grande do Sul aos partidários do governo na Revolução de 1929.
China : Descendente ou mulher de índio, ou pessoa de sexo feminino que apresenta alguns dos traços característicos étnicos das mulheres indígenas; Cabloca, mulher morena; Mulher de vida fácil; Esposa.
Chinoca : Mulher.
Cincha : Peça dos arreios que serve para firmar o lombilho ou o serigote sobre o lombo do animal.
Colhudo : Cavalo inteiro, não castrado. Pastor.; Figuradamente, diz-se do sujeito valente, que enfrenta o perigo, que agüenta o repuxo.
Credo : Exclamação de espanto.
Cuiudo : O mesmo que colhudo.
Cupincha : Companheiro, amigo.
Cusco : Cão pequeno, cão de raça ordinária. O mesmo que guaipeca, guaipé.

D
Daí Tchê : Oi.
Daga : Adaga, facão.
De vereda : Imediatamente, de momento, de uma vez.
Dobrar o cotovelo : Beber, levantar o copo à boca.
Doma : Ato de domar. Ato de amansar um animal xucro.
Domador : Amansador de potros. Peão que monta animais xucros.
Duro de boca : Diz-se do animal que não obedece à ação das rédeas.
Duro de Pealar : Difícil de fazer, trabalhoso.

E
Embretado : Encerrado no brete.; Metido em apertos, apuros ou dificuldades; enrascado, emaranhado.
Entrevero : Mistura, desordem, confusão de pessoas, animais ou objetos.
Erva-Caúna : Variedade de erva mate de má qualidade, amarga.
Erva-Lavada : Erva já sem fortidão por ter servido para muitos mates.
Estar com o diabo no corpo : Estar furioso. Estar insuportável.
Estar com o pé no Estribo : Estar prestes a sair.
Estrela-Boieira : Estrela d´alva.
Estribo : Peça presa ao loro, de cada lado da sela, e na qual o cavaleiro firma o pé.
Estropiado : Diz-se o animal sentido dos cascos, com dificuldade de andar, em conseqüência de marchas por estradas pedregosas.

F
Facada : Pedido de dinheiro feito por indivíduo vadio, incapaz de trabalhar, que não pretende restituí-lo.
Facho : O ar livre. Usado na expressão sair do facho.
Fatiota: Terno; Conjunto de roupas do homem: calça, colete e paletó.
Fiambre : Alimento para viagem, geralmente carne fria, assada ou cozida.
Fazer a viagem do corvo : Sair e demorar muito a regressar.
Flete : Cavalo bom e de bela aparência, encilhado com luxo e elegância.
Funda : Estilingue, bodoque.

G
Gadaria : Porção de gado, grande quantidade de gado, o gado existente em uma estância ou em uma invernada.
Gado chimarrão : Gado alçado, xucro, sem costeio.
Galpão : Construção existente nas estâncias, destinadas ao abrigo de homens e de animais; O galpão característico do Rio Grande do Sul é uma contrução rústica, de regular tamanho, em geral de madeira bruta e parte de terra batida, onde o fogo de chão está sempre aceso. Serve de abrigo e aconchego à peonada da estância e a qualquer tropeiro ou gaudério que dele necessite.
Gato : Bebedeira, porre, embriaguez.
Gaudério : Pessoa que não tem ocupação séria e vive à custa dos outros, andando de casa em casa; Parasita ; Amigo de viver à custa alheia.
Graxaim : Guaraxaim, sorro, zorro. Pequeno animal semelhante ao cão, que gosta de roer cordas, principalmente de couro cru e engraxadas ou ensebadas, e de comer aves domésticas. Sai, geralmente, à noite. É muito comum em toda a campanha.
Gringo : Denominação dada ao estrangeiro em geral, com exceção do português e do hispano-americano.
Guaiaca : Cinto largo de couro macio, às vezes de couro de lontra ou de camurça, ordinariamente enfeitado com bordados ou com moedas de prata ou de ouro, que serve para o porte de armas e para guardar dinheiro e pequenos objetos.
Guaipeca : Cão pequeno, cusco, cachorrinho de pernas tortas, cãozinho ordinário, vira-lata, sem raça definida. Pequeno, de minguada estatura. ; Aplica-se, também, às pessoas, com sentido depreciativo.
Guapo : Forte, vigoroso, valente, bravo.
Guasca : Tira, corda de couro cru, isto é, não curtido; Homem rústico, forte, guapo, valente.
Guasqueaço : Pancada, golpe dado com guasca. Relhaço, relhada, chicotada, chibatada, correada, açoite.
Guri : Criança, menino, piazinho, serviçal para trabalhos leves nas estâncias.

H
Há Cachorro na Cancha : Significa que há alguma coisa atrapalhando a execução de determinado plano.
Haraganear : Andar solto o animal por muito tempo, sem prestar serviço algum.

I
Invernada : Grande extensão de campo cercado. Nas estâncias, geralmente, há diversas invernadas: para engordar, para cruzamento de raças, etc.
Iguaria : Culinária.

J
Juiz : Pessoa que julga a chegada dos parelheiros, nas carreiras, em cada laço. O mesmo que julgador.
Jururu : Cabisbaixo, tristonho, abatido.

L
Lábia : Habilidade de conversa.
Lambe esporas : Indivíduo bajulador; leva e traz.
Lasqueado : Trouxa.
Légua : Medida itinerária equivalente a 3.000 braças ou 6.600 metros. O mesmo que légua de sesmaria.

M
Macanudo : Designa alguém bonito ou algo legal.
Maleva : Bandido, malfeitor, desalmado; Cavalo infiel, que por qualquer coisa corcoveia.
Maludo : Cavalo inteiro, garanhão. Diz-se do animal com grandes testículos.
Mangueira : Grande curral construído de pedra ou de madeira, junto à casa da estância, destinado a encerrar o gado para marcação, castração, cura de bicheiras, aparte e outros trabalhos.
Manotaço : Pancada que o cavalo dá com uma das patas dianteiras, ou com ambas; Bofetada, pancada com a mão dada por pessoa.

N
Negrinho : Designação carinhoso que se dá a crianças ou a pessas que se tem afeição.
Num Upa : Num abrir e fechar de olhos; De golpe; Rapidamente.

O
Oigalê : Exprime admiração, espanto, alegria.
Orelhano : Animal sem marca, nem sinal.

P
Paisano : Do mesmo país; Amigo, camarada.
Palanque : Esteio grosso e forte cravado no chão, com mais de dois metros de altura e trinta centímetros aproximadamente de diâmetro, localizado na mangueira ou curral, no qual se atam os animais, para doma, para cura de bicheiras ou outros serviços.
Papudo : Indivíduo que tem papo. Balaqueiro, jactancioso, blasonador. O termo é empregado para insultar, provocar, depreciar, menosprezar outra pessoa, embora esta não tenha papo.
Passar um pito : Repreender, descompor, passar um sermão.
Patrão : Designação dada ao presidente de Centro de Tradições Gaúchas (CTG).
Patrão-Velho : Deus.
Pelea : Peleja, pugilato, contenda, briga, rusga, disputa, combate.
Pelear : Brigar, lutar, combater, pelejar, teimar, disputar.
Petiço : Cavalo pequeno, curto, baixo.
Piá : Menino, guri, caboclinho.
Piquete : Pequeno potreiro, ao lado da casa, onde se põe ao pasto os animais utilizados diariamente.
Poncho : Espécie de capa de pano de lã, de forma retangular, ovalada ou redonda, com uma abertura no centro, por onde se enfia a cabeça. É o agasalho tradicional do gaúcho do campo. Na cama de pelegos, serve de coberta. A cavalo, resguarda o cavaleiro da chuva e do frio.
Potrilho : Animal cavalar durante o período de amamentação, isto é, desde que nasce até dois anos de idade. Potranco, potreco, potranquinho.

Q
Que Tal? : Tudo bem?.
Queixo-Duro: Cavalo que não obedece facilmente a ação das rédeas.
Quero-Mana : Denominação de antigo bailado campestre, espécie de fandango. Canto popular executado ao som de viola.
Quero-Quero : Passaro protetor das fazendas, diz que a cada pessoa ou animal estranho ao campo que aparece ele canta para avisar o gaúcho.

R
Rebenque : Chicote curto, com o cabo retovado, com uma palma de couro na extremidade. Pequeno relho.
Regalo : Presente, brinde.
Relho : Chicote com cabo de madeira e açoiteira de tranças semelhantes a de laço, com um pedaço de guasca na ponta.
Reponte : Ato de tocar por diante o gado de um lugar para o outro.
Repontar : Tocar o gado por diante de um lugar para outro.

S
Sair Fedendo : Fugir à disparada.
Sanga : Pequeno curso d'água menor que um regato ou arroio.
Selin : Sela própria para uso da mulher.
Sesmaria : Antiga medida agrária correspondente a três léguas quadradas, ou seja a 13.068 hectares. São 3000 por 9000 braças; ou 6.600 por 19.800 metros; ou ainda, 130.680.000 metros quadrados
.
Soga : Corda feita de couro, ou de fibra vegetal, ou ainda de crina de animal, utilizada para prender o cavalo à estaca ou ao pau-de-arrasto, quando é posto a pastar. Corda de couro torcido ou trançado, que liga entre si as pedras das boleadeiras. ; O termo é usado também em sentido figurado.
Surungo : Arrasta pé, baile de baixa classe, caroço.


T
Taco : Diz-se ao indivíduo capaz, hábil, corajoso. guapo.
Taipa : Represa de leivas, nas lavouras de arroz. Cerca de pedra, na região serrana.
Taita : Indivíduo valentão, destemido, guapo.
Tala : Nervura do centro da folha do jerivá. Chibata improvisada com a tala do jerivá ou com qualquer vara vlexivel.
Talagaço : Pancada com tala. Chicotaço.
Talho : Ferimento.
Tapera : Casa de campo, rancho, qualquer habitação abandonada, quase sempre em ruínas, com algumas paredes de pé e algum arvoredo velho. Diz-se da morada deserta, inabitada, triste.
Tchê : Meu, principalmente referindo-se a relações de parentesco. (Veja mais em Tradicionalismo)
Tirador : Espécie de avental de couro macio, ou pelego, que os laçadores usam pendente da cintura, do lado esquerdo, para proteger e o corpo do atrito do laço. Mesmo quando não está fazendo serviços em que utilize o laço, o homem da fronteira usa, freqüentemente, como parte da vestimenta, o seu tirador, que por vezes é de luxo, enfeitado com franjas, bolsos e coldre para revólver.
Tosa : Tosquia, toso, esquila.
Tradição Gaúcha : Vocábulos usados no plural, significando o rico acervo cultural e moral do Rio Grande do Sul no campo literário, folclórico, musical, usanças, adagiário, artesanato, esportes e atividades culturais.
Tranco : Passo largo, firme e seguro, do cavalo ou do homem.
Tramposo : Intrometido, trapaceiro, velhaco.
Trem : Sujeito inútil.
Três-Marias : Boleadeiras.
Tronqueira : Cada um dos grossos esteios colocados nas porteiras, os quais são providos de buracos em que são passadas as varas que as fecham.
Tropeiro : Condutor de tropas, de gado, de éguas, de mulas, ou de cargueiros. Pessoa que se ocupa em comprar e vender tropas de gado, de éguas ou de mulas. Peão que ajuda a conduzir a tropa, que tem por profissão ajudar a conduzir tropas. O trabalho do tropeiro é um dos mais ásperos, pois além das dificuldades normais da lida com o gado, é feito ao relento, dia e noite, com chuva, com neve, com minuano, com soalheiras inclementes, exigindo sempre dedicação integral de quem o realiza.


U
Uma-de-pé : Uma briga, conflito, luta.


V
Vacaria : Grande número de vacas; Grande extensão de campo que os jesuítas reservavam para criação de gado bovino.
Varar : Atravessar, cruzar.
Vareio : Susto, sova, surra, repreensão.
Vaza : Vez, oportunidade.
Vil : Covarde, desanimado, fraco.
Vivente : Pessoa, criatura, indivíduo.


X
Xepa : Comida.
Xerenga : Faca velha, ordinária.
Xiru : O mesmo que chiru.
Xucro : Diz-se ao animal ainda não domado, bravio arrisco.


Z
Zarro : Incômodo, difícil de fazer, chato.
Zunir : Ir-se apressadamente.


Por Geraldo Bond em ALEGRETENSES DESGARRADOS

terça-feira, 18 de outubro de 2011

Poeminha dedicado a Rachel Pucci.Saudades de Cesar





Saudades de Cesar

Hoje a saudades transborda
Escorre por meu rosto
Dói no coração
Saudades de um amor que é presente
Na vida esta ausente
Meu coração lotou
Sim
Esta cheio de você
Lembranças de dias
Horas
Sorrisos
Não me lembro de lamentos
Apenas de seu cheiro sua voz sua presença esta em mim
E assim eu suporto sua ausência, fazendo-te
Presente na caminhada
Preciso terminar a jornada
Levo-te em coração
Fica em mim.


Com carinho, Bia.

domingo, 16 de outubro de 2011

Poesia caipira de mineirinho






Amo ocê !
 Ocê é o colírio du meu ôiu.
É o chicrete garrado na minha carça dins.
É a mairionese du meu pão..
É o cisco nu meu ôiu (i no ôtro oiu - eu tenho dois).
O rechei du meu biscoito.
A masstumate du meu macarrão.
Nossinhora!
Gosdima...is da conta docê, uai.
Ocê é tamém:
O videperfume da minha pintiadêra.
O dentifriço da minha iscovdidente.
Óiprocevê, Quem tem amigossim, tem um tisôru!
Ieu guárdesse tisouro, com todu carinho ,
Du lado isquerdupeito !!!
Dentro do meu Coração!!!
AMO ocê, uai!!!
Fais favô de mandá pra tudos seus amigus du coração, incrusive eu, craro!!!
BRIGADO PELO SEU CARIN, cumqueu sempre pude contá!!!!

Se souber quem é o autor coloque créditos.