Crasy Júlio Iglecias- Youtub ( Aperte que toca).

Loading...

quinta-feira, 24 de julho de 2014

Sinal de Deus.





Nos caminhos mais sinuosos eu te encontrei
Chegastes a mim, envolto de filha, netos, genro.
Envolvestes meus amores para me auxiliar.
A amiga que surge, o telefone que toca.
O convite inesperado para trabalhar ao seu lado
Obrigada Pai Maior por jamais me faltar
Quando converso contigo e respondes
É aquele sinal ao longe que faz a cada dia eu não parar.
E quando a saúde falha um anjo vem para cuidar
Senhor obrigada por mais este dia
Distraída não vi você chegar!
Se conosco Senhor, e me faz melhor.
Tenho irmãos para auxiliar, em lugares diversos.
Estão a nos aguardar.
Nos Asilos, penitenciárias, ruas, casas de passagens.
Olhai pelos filhos teus que estão em duras provações
Nos sanatórios, hospitais em lares desfeitos.
Nas ruas no vicio, envia teus anjos para orientar.
Enfim Pai de Luz eu nada tinha a pedir,
Mas como filha pedinte roga a ti Pai amado jamais penses que te esqueci.
E mesmo que eu não perceba os teus sinais, mostre-os estou aqui!
Que assim seja!



Eu sonhei.





Com um mundo cheio de paz.
Com você a me abraçar
Com amor sem fronteiras
Com a simplicidade dos anjos

Eu sonhei

Com um mundo bem mais bonito
Com coração batendo descompassado
Eu e você ao meu lado
Uma só alma em comunhão

Eu sonhei

Eu e você amor vivíamos a sorrir
Apenas o amor a nos colorir
Olhei a volta e não te senti
Mas foi só um sonho não estas aqui

Eu sonhei.

Meu País .






Eu amo o Brasil.
É cheio de cor e alegrias
De rios de mares estradas
Cheio de gente animada
Aqui eu sou feliz!
Um País cheio de graça
Hospitaleiro e imenso
Cheio de tradição
Mora no meu coração
Que tem a cor da bandeira
E o som do hino do Brasil.
Tem um clima tropical
Tem sotaques em cada estado
E assim eu percorro encantado
O País onde Nasci.

O amor foi embora .






Porque o amor foi embora!


Hoje o dia não raiou
O sol se escondeu
O céu nublou
O tempo parou

Porque você foi embora

As flores secaram
A cidade esta deserta
As janelas das casas não se abriram
E até o céu chorou

Porque você partiu

A lua vai se esconder
As estrelas não irão aparecer
Os pássaros não irão mais cantar
O lago irá secar

Porque o amor não mais vai voltar!

Prece de rogativa ao Pai .




Prece

Ajoelho e baixo a cabeça em prece;
Louvando ao Pai Maior escute os filhos teus;
Hoje Senhor é dia de agradecer;
Pela vida, o alimento o trabalho que me deu o sustento.
Perdoa Senhor os erros meus.
Antes de pedir a ti Pai Maior, perdoo aos que a mim de alguma forma humilharam.
Pedindo que perdoes aos que com ou sem intenção machuquei.
Senhor antes de pedir rogo pelos irmãos que sequer sabem orar.
Pelos que tem fome, frio.
Pelos vagam nas ruas sem teto e sem destino.
Pelos que não aprenderam a orar, a trabalhar.
Senhor rogo por meus irmãos que se encontram em perigo
Pelos que cometem as maiores violências contra si mesmos e contra o outrem
Que seja nesta hora socorrida por uma palavra amiga um abrigo;
Que chegue até eles a súplica da salvação.
Pelos que estão nas penitenciárias, abrigos, casa de passagem;
Pelos que vagam ao relento sem nenhum alento;
Ajuda-nos Pai;
E quando ajudar-nos ajuda também a lembrar de agradecer...
A roupa lavada, a família, o calor do teto, o alimento a lição.
Proteja todos os filhos para amparem os pais.
Daí-me a saúde sempre se eu merecer me saiba Senhor teu evangelho entender;
Faz-me melhor; Amém!
Eu tua filha,

Beatriz.

Tributo aos pais.





E ao nascer o grito de vida
Surge ali a palmada
Que me mostra sou alma em separada
E me acolhe a mãe e o pai presente

Refúgio de minha alma acalorada
A mãe bendita que me carregou ao ventre
Por nove meses antes da chegada
No teu calor a vida se formava

Pai querido meio sorridente
A lágrima escorre ao ver a filha tão esperada
E o mundo se desvenda em minha frente

É apenas o começo de uma caminhada
Bendigo aos pais que nos dão a vida
Amparam-nos e amam na jornada.

Será que pode?






A lei do retorno!

Você pode...

Você pode julgar seja quem for
Você pode desamparar o irmão
Você pode desprezar os seus iguais
Você pode pregar o desamor

Mas... O que você não pode

É deixar de ser julgado
É chorar o desamparo
É não sentir o resultado
É pensar que não magoou

Você não pode reclamar do que plantou!

Prece do silêncio.







Bendito seja o silêncio
A calma d’alma
Nele encontro pensamentos
Bendito silêncio evitas desavenças
Tertúlias inúteis
De ti retiro o bom senso
No silêncio sinto
Meus caminhos traço
Meu mundo em ti se refaz
No silêncio eu me encontro
Harmonia que dirige meus passos
No mesmo silêncio eu oro
Com DEUS converso
Agradeço...
Peço...
Imploro
Choro
Lamenta
Momento que acalma
Sou Eu comigo agora
Encontro-me e te encontro em mim
Aquietas-te e ora em paz!

Tempo...






O sol raiou
A cidade acordou
O vento soprou mais forte
Você já se foi.

Olhei a vidraça ainda molhada
Embaçada que a noite deixou
Em minhas vestes o perfume suave
Nos aposentos tudo revirado

Preciso sair daqui
Tomo um banho demorado
O café caprichado
Arrumo-me e me vou.

Pelas ruas cheias eu ando
Em cada esquina eu paro
Sem rumo seguindo a procura
Do sonho que você deixou!

Saudades de mim!





Hoje o dia amanheceu em festa
Pelos caminhos florescidos andei
Corri/ Sorri/Abracei-te
Em seus braços/Abraços/ Perdi-me
Em seus lábios senti o mundo mais bonito
O sonho sonhou
Meu mundo é de flores
Meu coração se abriu
O sol nos aqueceu
Nos campos andamos
Olhando os céus nos amamos
É noite e nem vi.
Vida em versos é poesia.
Tão simples e bela
Apenas eu pensando nela
E o mundo todo a sorrir
O tempo foi passando e eu ali relembrando
Palavras que não proferi
De amor e de carinho
Queria falar baixinho, mas não estavas aqui.
O amor cantar em meus versos
Com paixão só pra ti
Por isto sou poeta
Vejo a vida tão bonita
Toda enfeitada de fitas
Coloridas só pra ti
E quando eu canto a paisagem
É á Deus que estou louvando
Canto o mundo a natureza
Canto em verso a beleza
Canto a alma desnuda
Os caminhos coloridos
Os amores escondidos
Meus versos são pra ti.
Saudade de mim
Saudade da juventude
Que não vive mais em mim
Saudade das brincadeiras da infância
Da adolescência que se foi
Saudades dos se foram
É uma saudade alegre que me faça sorrir.
Saudade de casa cheia
De abraços e brincadeiras
Da família que eu sempre vou amar
Dos campos que eternamente irei lembrar
Dos rios a me banhar
Há que saudade
Das noites de lua cheia clareando a casa inteira
Do lampião a iluminar o caminho
Dos meus pais a conversar
Do mano tão amado sempre com piadas a contar
Saudade dos bolinhos de chuva
Dos quitutes da fazenda
Dos campos cheio de gado a pastar
E a lembrança me transporta
A uma vida gostosa de lembrar
A serenata na janela violão e cavaquinho
As vozes me fazem voltar.
Hoje eu senti saudades de mim!