Crasy Júlio Iglecias- Youtub ( Aperte que toca).

Loading...

sábado, 19 de novembro de 2011

By Chico Xavier!







Quando você conseguir superar graves problemas de relacionamentos,
não se detenha na lembrança dos momentos difíceis,
mas na alegria de haver atravessado
mais essa prova em sua vida.

Quando sair de um longo tratamento de saúde,
não pense no sofrimento
que foi necessário enfrentar,
mas na bênção de Deus
que permitiu a cura.

Leve na sua memória, para o resto da vida,
as coisas boas que surgiram nas dificuldades.
Elas serão uma prova de sua capacidade,
e lhe darão confiança
diante de qualquer obstáculo.

Uns queriam um emprego melhor;
outros, só um emprego.
Uns queriam uma refeição mais farta;
outros, só uma refeição.
Uns queriam uma vida mais amena;
outros, apenas viver.
Uns queriam pais mais esclarecidos;
outros, ter pais.

Uns queriam ter olhos claros;
outros, enxergar.
Uns queriam ter voz bonita;
outros, falar.
Uns queriam silêncio;
outros, ouvir.
Uns queriam sapato novo;
outros, ter pés.

Uns queriam um carro;
outros, andar.
Uns queriam o supérfluo;
outros, apenas o necessário.

Há dois tipos de sabedoria:
a inferior e a superior.

A sabedoria inferior é dada pelo quanto uma pessoa sabe
e a superior é dada pelo quanto ela tem consciência de que não sabe.
Tenha a sabedoria superior.
Seja um eterno aprendiz na escola da vida.

A sabedoria superior tolera;
a inferior, julga;
a superior, alivia;
a inferior, culpa;
a superior, perdoa; a inferior, condena.
Tem coisas que o coração só fala
para quem sabe escutar!

Chico Xavier

terça-feira, 15 de novembro de 2011

Rua da Praia – Rua dos Andradas







Nesta rua eu vivi, sonhei, amei, trabalhei, chorei, sorri por quase 30 anos.
Grande marco de minha vida!
Ganhei, perdi,aprendi...aqui eu espiritualmente e materialmente cresci, obrigada SENHOR.
Passou, marcou, segui....
Rua da Praia em Porto Alegre.


Rua da Praia – Rua dos Andradas

Rua da Praia, ou Rua dos Andradas, é uma das ruas mais tradicionais da cidade, também a mais antiga da cidade.
A despeito da nova denominação ter sido oficialmente estabelecida em 1865, o nome antigo ainda persiste na voz popular, e com ele esta rua tem sido celebrada por muitos escritores, jornalistas, pesquisadores, cronistas e poetas
Em sua obra, após uma descrição da oficial Rua dos Andradas, o historiador Sérgio da Costa Franco, assim se refere: “Na toponímia antiga, da extremidade ocidental da península até a atual Rua General Câmara, a Rua dos Andradas denominava-se "da Praia"; daquele ponto para cima, "Rua da Graça".
O cronista Pereira Coruja, em suas Antigualhas, registra que "0 povo não engraçou com o nome de “Rua da Graça", terminando por generalizar a da Praia, em toda a sua extensão.
Nas escrituras dos tabelionatos e nos papeis da Câmara Municipal, fala-se em Rua da Graça pelo menos ate o final da Revolução Farroupilha.
Assim, chegamos a uma curiosa conclusão, a de que aquela que é consagrada no imaginário popular que ultrapassa, certamente, a mais de dois séculos, todos os obstáculos legais para ser soberana na mente e corações dos porto-alegrenses, na verdade, oficialmente, nunca se chamou Rua da Praia.
Quem conhece fora de nossa cidade a Rua dos Andradas?
Ao contrário, muitos já ouviram falar na Rua da Praia, local de encontros, diversão, negócios, onde circulam diariamente milhares de pessoas. Quem, não se utilizou da frase: estou indo ao centro, na Rua da Praia pagar uma conta, ou fazer umas compras, ou ir à Casa de Cultura Mário Quintana, na Praça da Alfândega, que anualmente abriga a Feira do Livro.
Em 2011 completam-se 146 anos desde que a denominação de Andradas foi oficializada - e, mesmo assim, a Rua da Praia sobreviveu incólume, soberana, na mente dos porto-alegrenses e gaúchos, sendo assim a referência para turistas que aqui chegam. Pois bem, é então contraditória essa situação.
Quem se acorre dos guias de endereços provavelmente não compreende essa ausência. A procura incessante pode, até, causar confusão.
E para comprovar essa linha de raciocínio, que nos socorremos de muitos intelectuais, escritores, poetas, jornalistas, artistas. Rafael Guimarães em seu magnifico livro Rua da Praia –
Um passeio no Tempo, Editora Libretos, se refere ao nome dessa forma: “Em 1843, quando as vias recebem suas primeiras placas, tudo passa a ser Rua da Praia, em 1865, num arroubo patriótico, a Câmara aprova o novo nome, Rua dos Andradas, em homenagem a José Bonifácio, o “Patriarca da Independência” e seus irmãos.
Para o povo, no entanto, ela será sempre Rua da Praia. E para os críticos ao resgate da Rua da Praia e defensores da homenagem aos Andradas, respondemos com a existência da já denominada Avenida José Bonifácio, uma importante via da cidade, no bairro Bom Fim, um dos mais tradicionais da cidade, que homenageia o “Patriarca da Independência”.
José Cândido Gomes, que, sob o pseudônimo de "O Estudante", publicava crônicas semanais no jornal Mercantil a partir de 1852, já glosava as particularidades e singularidades da Rua da Praia. Zeferino Brazil, Aquiles Porto Alegre e quase todos os cronistas da cidade Ihe dedicaram cronicas.
Érico Veríssimo ali situou vários episódios de seus romances.
Nilo Ruschellhe dedicou um livro especifico, e Renato Maciel de Sá Júnior publicou três series de Anedotário da Rua da Praia que se transformaram em best-seller.
Pois é a Rua da Praia cantada em versos. Fonte de inspiração, segundo o compositor carioca Tito Madi que canta a Rua dessa forma: Rua da Praia, Eu vim para procurar minha saudade, Pra ver se encontro na verdade, Aquela que vivi........
Já João Palmeiro e Ivaldo Roque em Outubro 18h dizem,
Vou pela calçada, Porto Alegre à tarde, Quase ao anoitecer, Os cinemas chamam para ver, As vitrines vão acender, Gente com pressa, Ora para quê, Vou atravessando a Rua da Praia despreocupado.
E o grande sucesso, porém, foi de Alberto do Canto em Rua da Praia: Rua da Praia que não tem praia, que não tem rio, Onde as sereias andam de saias e não de maiô. Rua da Praia do jornaleiro, do camelô, Do Estudante que a aula da tarde gazeou.....
Não menos do que o nosso imortal Moacir Scliar, em histórias de Porto Alegre, Editora LPM, cita alguns personagens da Rua Praia, e vai adiante quando diz que “A Rua da Praia, sempre foi o coração de Porto Alegre”.
Assim como Luís Fernando Veríssimo, no Traçando Porto Alegre, Editora Arte e Oficio, também sucesso editorial, refere Porto Alegre, como a Mal entendida, “A rua principal da cidade não existe. Você rodará toda a cidade à procura da Rua da Praia e não a encontrará”... “Finalmente, desconfiado de que a Rua Principal só pode ser aquela que concentra a maior parte do tráfego de pedestres no centro, você consultará a placa e lerá “Rua dos Andradas”. Mas ninguém a chama de Rua dos Andradas, chamam pelo nome antigo de Rua da Praia”.
Portanto, o nome Rua da Praia, é mais significante para nossa população, já que é a voz do povo, aqueles que são os legítimos donos dessa cidade, que estão acima de governos, partidos políticos, famílias tradicionais ou não, está além, até mesmo do sentido poético, pois é parte petrificada no cerne da nossa cultura popular.

Retirado do facebook, personagem lotado.(O autor se intitula assim.)

segunda-feira, 14 de novembro de 2011

.Abandono, dor que mata!





Abandono parece apenas uma triste situação...
Abandono, nem sempre é de um pobre coitado.
Abandono é deixar de lado
Abandono é esquecer quem nos cuidou
Abandono nem sempre é tratar mal
Abandono é também esquecer
Abandono é deixar pra lá
Aquele que nos proveu
Abandono pode ser apenas se afastar
Abandono é não abraçar
Abandono é não beijar
Abandono é não levar comigo aquele que a mim deu abrigo
Perdeu o sono, cuidou.
Abandono é olvidar aquele que não me serve mais
Abandono pode ser com requinte
Abandono pode ser suprir necessidades
Abandono é não levar comigo aquele que a mim deu abrigo
Perdeu o sono, cuidou.
Mas abandono eu tenho certeza
É querer se afastar que quem já nada mais tem para dar.
Abandono é dor que pode matar!

Bia.

Quando a boca cala.... o corpo fala!!!






Este alerta está colocado na porta de um espaço terapêutico.
O resfriado escorre quando o corpo não chora.
A dor de garganta entope quando não é possível comunicar as aflições.
O estômago arde quando as raivas não conseguem sair.
O diabetes invade quando a solidão dói.
O corpo engorda quando a insatisfação aperta.
A dor de cabeça deprime quando as duvidas aumentam.
O coração desiste quando o sentido da vida parece terminar.
A alergia aparece quando o perfeccionismo fica intolerável.
As unhas quebram quando as defesas ficam ameaçadas.
O peito aperta quando o orgulho escraviza.
A pressão sobe quando o medo aprisiona.
As neuroses paralisam quando a criança interna tiraniza.
A febre esquenta quando as defesas detonam as fronteiras da imunidade.
Preste atenção!


Desconheço o autor, se souber coloque os créditos
Desconheço o autor.( Amar faz bem.)

Créditos de Uta! Amanda De: Amar é Viver !






Quando nascemos, ao embarcarmos nesse trem, encontramos duas pessoas que, acreditamos, farão conosco a viagem até o fim: nossos pais.
Não é verdade.
Infelizmente, em alguma estação eles desembarcam, deixando-nos órfãos de seus carinho, proteção, amor e afeto. Mas isso não impede que, durante a viagem, embarquem pessoas interessantes que virão ser especiais para nós.
Embarcam nossos irmãos, amigos e amores.
Muitas pessoas tomam esse trem a passeio.
Outros fazem a viagem experimentando somente tristezas.
E no trem há, também, pessoas que passam de vagão a vagão, prontas para ajudar a quem precisa.
Muitos descem e deixam saudades eternas. Outros tantos viajam no trem de tal forma que, quando desocupam seus assentos, ninguém sequer percebe.
Curioso é considerar que alguns passageiros que nos são tão caros, acomodam-se em vagões diferentes do nosso. Isso nos obriga a fazer essa viagem separados deles.
Mas claro que isso não nos impede de, com grande dificuldade, atravessarmos nosso vagão e chegarmos até eles.
O difícil é aceitarmos que não podemos nos assentar ao seu lado, pois outra pessoa estará ocupando esse lugar.
Essa viagem é assim: cheia de atropelos, sonhos, fantasias, esperas, embarques e desembarques.
Sabemos que esse trem jamais volta.
Façamos, então, essa viagem, da melhor maneira possível, tentando manter um bom relacionamento com todos os passageiros, procurando em cada um deles o que tem de melhor, lembrando sempre que, em algum momento do trajeto poderão fraquejar, e, provavelmente, precisaremos entender isso.
Nós mesmos fraquejamos algumas vezes.
E, certamente, alguém nos entenderá.
O grande mistério, afinal, é que não sabemos em qual parada desceremos. E fico pensando: quando eu descer desse trem sentirei saudades? Sim.
Deixar meus filhos viajando nele sozinhos será muito triste. Separar-me de alguns amigos que nele fiz, do amor da minha vida, será para mim dolorido. Mas me agarro na esperança de que, em algum momento, estarei na estação principal, e terei a emoção de vê-los chegar com sua bagagem, que não tinham quando embarcaram.
E o que me deixará feliz é saber que, de alguma forma, eu colaborei para que ela tenha crescido e se tornado valiosa.
Agora, nesse momento, o trem diminui sua velocidade para que embarquem e desembarquem as pessoas. Minha expectativa aumenta, à medida que o trem vai diminuindo sua velocidade... Quem entrará?
Quem sairá?
Eu gostaria que você pensasse no desembarque do trem, não só como a representação da morte, mas, também, como o término de uma história de algo que duas ou mais pessoas construíram e que, por um motivo íntimo, deixaram desmoronar.
Fico feliz em perceber que certas pessoas como nós, têm a capacidade de reconstruir para recomeçar. Isso é sinal de garra e de luta, é saber viver, é tirar o melhor de "todos os passageiros".

Excelente segunda feira!
Uta! Amanda
De: Amar é Viver !

Lagrimas de AMOR






Porque você foi embora
Fiquei triste sem entender
Tentei falar escrever
Não encontrei mais você

Enviei o meu calor pra te aquecer
Meus beijos e meu carinho
Você saiu de mansinho
Nunca mais me procurou

O céu ficou triste
choveu
A lua se escondeu
O sol se apagou

Os pássaros não cantam mais
As flores murcharam
Os verdes morreram
Meu coração se fechou

Sai por todo canto
Procurei você em todo lado
Pois meu coração a bater
Só escuta quando quem fala é você!

Bia

24/09/2011

Mentiras que nos destroem








Uma das maiores razões do término da confiança.
Eu confio por que
Creio em ti
Eu confio porque não me enganas
Eu confio em quem olha no olho
Eu confio em quem não tem medos
Eu confio em quem encara verdades
Eu confio em quem sustenta seus defeitos
Eu tenho confiança em quem não mente
A confiança quando perdida, jamais se restabelece
Confiar é entrega
É poder contar com o outro e saber disto
Confiar é um sentimento que tem que ser conquistado
Não mintas pra mim
Jamais vou acreditar novamente em ti
Mas o principal é
Não mintas pra ti
A não ser que tenhas perdido totalmente
O respeito por ti mesmo!

Bia

Simplesmente....AMAR.







Amo a vida... Eu amo...a poesia...a escrita...amo...
Eu amo....meus amigos....
Eu amo...minha filha, MUSA eterna, eu amo....
Eu amo...meus netos...meus REIS....amo ....
Eu Amo amar.....
Eu amo...aprendizados...amo...
Eu amo....simplesmente....amar...
E se amar não houvesse ...há...o poeta enventaria...
Em versos o cantaria....
E o conjugaria....
Eu amo....amo amar....
Amar simplesmente... amar é estar em estado de graça...é receber em você o outro....é sentir um sentimento louco....amar...simplesmente...amo...
Eu amo...e sei amar!
Abençoados todos os que aprenderam a AMAR.....
Amor eu o saúdo ....entre nos corações ...ame....
Amando fazendo morada...
A vida será abençoada...
Pois não há vida sem AMOR!
Amo amar....

Bia

04/09/2011






Ser livre






Uma das maiores maravilha que podemos conquistar
A liberdade é muito além se simples palavra
Ser livre é poder falar o que e quando quer
É andar e ir se quiser
É muito além de poder...
Quem pode algo agora... depois...mais tarde...não ...
Livre é fazer não apenas querer
Ser livre é bem mais bem maior que tudo
É andar ou parar
É escutar ou calar
É viajar e ficar
É ir e vir...
Livre é aquele que conquistou a liberdade
Livre é quem fez e faz
Livre é quem sozinho vive mesmo que acompanhado
Ser livre é poder amar e ser amado
Livre é fazer como e quando se quer
Ser livre ao contrário do que muitos pensam
É ter estudado e estudar
É ter trabalhado duro e trabalhar
O que nos da liberdade
É poder fazer a escolha
Sem ninguém a nos mandar
Ser livre é se sustentar
Livre é quem alcança seus objetivos
Ser livre é escolher amigos
Livre também para obedecer, respeitar
Livre para viver e sonhar
Lembre sempre só terá realmente o outro
No momento em que o libertar
Liberdade é deixar viver
A palavra mais bela, o sentimento maior
É ser livre com ou sem AMOR!
Livre EU sou!



Bia

23/08/2011

MUDANÇAS




Grandes ventos sopram
Para que as mudanças se façam
Não faça perguntas
Mudanças fazem parte de nosso crescimento
Social, intectual, cíclico
Feliz do homem que sabe mudar
Minha vida como a de muitos foi sempre repleta delas
Mudei de cidade
De estado, de escola
Mudei de rumo, de status
Mudei culturalmente
Radicalmente
Mudei de amigos, poucos conservei
Mudei de namorado, noivo e marido
Mudei o rumo da vida
Novo caminho trilhou
Mudei valores
Hoje não tenho temores
Sei a mudança é crescimento
Temos que nos adaptar ao momento que a vida nos trás
Feliz de quem muda, evolui, procura
Muda de trabalho
De profissão
De rumo
Não se acomoda com o que simplesmente surge
Procura crescer a cada dia que passa, estuda, trabalha
Divide tudo com muitas amizades
Feliz quem deixa saudades
Por onde passa
Este é grande ciclo da vida.
Muda amigo, mas só se for para melhor.
Bom final de semana aos amigos,

Bia.


06/08/2011

Aprendizado.





A vida aos poucos abre ruelas, traça caminhos...
Na caminhada procuro sempre estar presente, acompanhando o simples andar de um dia, que de hora em hora se esvazia, voltando a anoitecer em mim....
Despertei cedo na jornada, querendo ver raiar o dia em caminhada, vendo caminhos ensolarados, flores lindas plantadas, em todo o correr da estrada, fui devagar, descansei.
Ao meio dia parei, almocei...segui....
Andando sempre em frente , quero te ver feliz e sorridente, que meu caminho eu possa percorrer.
Estou de bem com a vida, a tarde cai de mansinho, e o sol devagarzinho de despede de mim...
Vejo a frente à noite caindo aos poucos, a natureza que deita preguiçosa, e vai descendo a terra como um véu envolto em pontos luminosos:
É um véu negro que acaricia a todos.
Apuro passo estou quase chegando e como em sonhos estas me esperando, desde sempre meu despertar é em ti.
Corro ao teu encontro, me abraças , enlaças, nosso coração transpassa, tu passas a viver em mim!
Eu passo a viver em ti!

Bia

Quero te amar

Em você vejo apenas qualidades
Seus defeitos escondidos
Por mim são despercebidos
Não os vejo
Onde estão?
Quando me falas de amor
Apenas sinto o calor
O carinho que tu tens
Meus defeitos não os vês?
Escondi dentro do amor
Tentando ser quase única
Para alcançar seu amor
Fiz promessas
Fiz poesias
Procurei em alegrias
Para dedilhar um sentimento...


BIA.
02/08/2011

domingo, 13 de novembro de 2011

Caminho...








Não te percas no caminho
Trilhei muitas caminhadas
Andando por muitas estradas
Nas estradas da vida os caminhos são assim
Tem uns que vivem na estrada asfaltada
Outros em estradas embarradas
Estrada de pedras
Outras são sinuosas
Vias de duas ou uma só mão
A vida comigo foi boa
Colocou na minha estrada
Uma via asfaltada
Com retas e chegadas
Encontrei na caminhada
Amigos, amores carinho
Orientando-me e ajudando-me
Tive sempre um ombro amigo
Quando mais eu precisei
Sempre tive alguém comigo
Ao trilhar fui sempre firme
Pedi á DEUS que me indicasse o norte
Sempre com fé, coragem e sorte
Meu caminho ele traçou
Andei por muitas cidades
Estudei, trabalhei, amei
Tive filha, tive neto, meu destino eu escrevi
Hoje agradeço á DEUS
A vida nada me deve
Nem eu á ela
Posso dizer hoje não passei pela vida, Vivi!
Bia

01/08/2011

Amor apenas....não se planeja, acontece!







Andei na estrada da vida
Tentando nela encontrar
Um moço bonito pra comigo se casar
Apareceram candidatos na minha caminhada
Tentei escolher direito
Queria estar apaixonada
Depois de muito andar
Na estrada da vida encontrei
Um moço todo prosa
Com seu coração fiquei
Quando nos encontramos
Vi que a coisa era séria
Deu-me logo a chave de seu coração
Aproveitei e entrei
Andando bem devagar
Tentando não lhe acordar
Olhei a volta e vi tristezas...
Joguei tudo no lixo
Encontrei ali solidão aos montes..
Fui limpando e deletando ...falta de amor, medo, temor...
Fui enfeitando o canto, coloquei muita alegria
Postei flores de carinho, no cantinho da poesia
Arrumei a mesa com coisas bem gostosas
Amor, paixão, carinho, compreensão, cumplicidade.
Atenção, com-paixão, caridade
Coloquei no centro da mesa, o sentimento da pureza
Enfeitei o meu cantinho
Nele te coloquei todinho
Apaguei o passado
Pensamento de sofrimento colocando ali no lixo..
Tirei mágoas, arrependimentos... lavei tudo com amor
Agora já ficou pronto
Tentei então sair,
Mas a porta de seu coração fechou
Eu fiquei morando ali.

Bia

29/07/2011

POETA.




Poeta é o que trás em si a doçura do encantamento d’alma
É acariciar os corações solitários
Preenchendo com sussurros dissipando a dor
Poeta querido ao nasceres traz contigo
A alegria e o amor
Bendigo-te no teu dia poeta amigo
Em você é que encontro carinho e abrigo
Para agasalhar m’inhalma sentida
Quando o coração pede guarida
Carinho e palavras de amor
Ao te inspirares em um musa
Estas amando e despindo a alma
Em palavreados de amor ou calma
Bendito sejas tu poeta encantador.

Bia