Crasy Júlio Iglecias- Youtub ( Aperte que toca).

Loading...

sexta-feira, 29 de junho de 2012

Saudades apenas

Saudades apenas.
 Saudades...
Saudades de amar...
Saudades de andar sem rumo por caminhos floridos
Saudades de cheiro de terra molhada
Saudades de abraço apertado Saudades de te ver...
Saudades de amar simplesmente
Saudades de um sorriso franco
Saudades das estradas que não trafego mais
Saudades de casa lotada
Saudades da fogueira que saltava em noite de São João
Saudades de conversas silenciosas
Saudades de pipoca, de pinhão.
Saudades de teu cheiro doce
Saudades de conversas cruzadas hoje armazenadas em meu coração...
Saudades de presenças ausentes
Saudades dos domingos de família reunida
Saudades de casa... aquela casa que não tenho mais
Saudades das piadas de meu Mano...
Saudades do papo animado de meu Pai.
Saudades da atenção e do carinho de minha Mãe...
Saudades do céu...
Saudades apenas...
Saudades!

CP 62 - Bia Castellano

quarta-feira, 27 de junho de 2012

Silêncio

SILÊNCIO.

 Uns minutos de silêncio dia inteiro
 Noite toda
 Preciso do silêncio dos bichos
 Do silêncio dos homens
 Do silêncio dos mares
 Preciso do silêncio apenas
 Do silêncio que descanse
 Preciso do silêncio da paz
 Do silêncio de teus lábios
 Tocando os lábios meus
 Silêncio de carinho
 Quero o silêncio do AMOR
 Quero sentir o silêncio apenas
 O silêncio do mundo
 Suavidade do silêncio da rua
 No jardim sinta eu teu abraço
 Que lá encontre O SILÊNCIO QUE EU PRECISO
 Que no meu silêncio o silêncio fale
 Que no teu silêncio me cale
 No encontro de almas enamoradas

 Bia Castellano de Almeida

Poesia apenas.

Outono ensolarado

 Hoje acordei em festa
 Em mim uma alegria incontida
 Sei que vou te encontrar
 Por entre os caminhos de folhas secas
 Passo sorrindo mesmo sem notar
 Estou com um fascínio que transborda
 Ando por entre arvores secas
 Meu pensamento é seu
 Pareço uma menina olhando o céu
 Tento no azul profundo do alto
 Encontrar a resposta que só existe em mim
 Apresso o passo
 Sigo por entre caminhos
 Riachos Ando feliz
 Em minha frente aquela ponte é só o que nos separa
 Meu coração bate forte
 Olho apreensiva seguindo em frente
 Meu olho brilha ao encontrar o teu
 O abraço é forte passa e transpassa
 Ficamos assim por longo tempo...
 Sinto seu calor em mim
 De agora em diante vou ter a certeza que não é sonho
 É amor que reviveu
 Renascemos aqui!

 CP 62 Bia Castellano

Sonho de amor









Sonho

Em você meu amor
Nunca paro de pensar
Vives em mim És meu eterno sonhar
Parece que o tempo
Apenas quer nos testar
 Fomos feitos um para o outro
 Vejo você em todo o lugar
 Pode passar um tempo
 Vamos nos encontrar
 Se não nesta vida
 Será em outra
 Eu sempre vou te esperar
 Quem sabe o universo
 Vai conspirar
 E mesmo que só uma uma vez
 Quero acordada te AMAR!

 Bia Castellano

Desencontros de AMOR.

Desencontros

 Meu caminho é o teu
 E meu caminho é aflito
 Incerto confuso
 A certeza estava em mim em ti
 Perdi
 Esqueci
 Faz-se em nós solidão
 O percurso é longo
 Áspero íngreme
 Em mim tua presença ausente
 Em cada canto uma saudade
 Olho tudo com ansiedade
 Não estas mais aqui
 Nosso amor era sereno
 Calmaria de um bem querer
 Teu sorriso aberto
 Era uma canção
 Então Passou
 A saudade de teu riso me faz sorrir
 Teu amor sempre foi meu
 Mesmo distante te via a todo instante
 Carente latente ausente de mim
 Tua tristeza era também minha
 E juntos fizemos planos
 Enganos
 Paixão que embala
 Arrepia cala
 Percorro estradas por onde andamos
 Rios que passamos
 Montanhas que escalamos
 Caminho de enganos
 Você partiu
 Eu parti
 Saudades de ti
 Saudades de mim!

 Bia Castellano de Almeida

Doce sonho de amar


Vejo-te ao meu lado e com muito cuidado procuro por ti


 Amor que preciso
 Carinho que sonhei
 Creio que me enganei
 Não era nada disto
 A vida é feita de realidade
 Sem lugar para saudade
 Sem tempo de amar Será?
 Não posso sonhar
 A realidade chama
 O coração clama, reclama
 Preciso de este pulsar
 Onde, como?
 O egoísmo impera, supera.
 Separa mata desata
 Onde esta o amor?
 No coração dos poetas
 Que sonham acordados
 Vivendo com carinho e cuidado
 Regando a planta do AMOR
 E assim te encontro amor maior que tudo
 Calado mudo
 Nas folhas escritas do poeta que te regou!

 CP 62 Bia Castellano

Para minha filha amada.

Filha

 Nascestes de mim
 Viestes ao mundo aos gritos e com calma e carinho em meus braços te aninhei
 Em meu ventre te carreguei cuidei amei com todas as forças
 Eu te embalei em meus braços
 Conduzi os teus passos até ficares em pé
 Abrandei teu choro no colo
 Viestes nus te cobri
 Banhei-te
 Alimentei-te em horas certas
 Velei tuas noites bem ou mal dormidas 
Cantei desafinada te embalando acanhada me sentindo sempre feliz
 Filho te dei guarida para seguires em frente
 A cada sorriso teu meus olhos brilhavam
 Sua vitória foi minha
 Você crescendo agarrado a minha mão
 A cada dia te ensinava e contigo aprendia
 Os dias foram passando que eu mesma não percebi
 Era tempo de escola
 Ganhando o mundo de DEUS
 Hoje te digo filho meu
 És meu maior e melhor presente
 Andamos juntos na estrada
 Já têm teus filhos agora meus netos frutos do amor
 Acompanho a caminhada
 De cada momento seu
 Logo você cresceu de mim de depreendeu
 Segui meu rumo na vida
 Ao longe estou vigiando tentando ainda te orientar 
E mesmo que eu me ausente em mim estarás presente
 Nas minhas orações diárias rogo ao PAI muita saúde 
Que encontres no teu caminho alegria e muito amor
 Siga sempre sê feliz Filho se eu errar perdoa foi tentando acertar
 Foi simplesmente por te amar.


Eu tua mãe.

CP 62 Bia Castellano